Crise no campo e disputa política por eleição. Inter entra em erupção

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

Os dias no estádio Beira-Rio andam tensos e não é só pela má fase do time. A proximidade com a eleição presidencial formou um cenário terrível para o Internacional. Protestos quase diários, dirigentes como alvos e acusações de medidas com cunho político de ambos os lados.

A série de sete jogos sem vitória, com cinco derrotas consecutivas, é uma fatia grande na crise. Tanto que causou a demissão de Argel Fucks. A demora na contratação de reforços também.

Só que a disputa pela presidência já começou e seus efeitos são grandes. Visíveis a olho nu.

Para a oposição, a escolha de Paulo Roberto Falcão foi um ato político e não técnico. Eterno camisa 5 do Inter, ele assinou até julho de 2017. O tempo de duração do contrato é outro motivo de reclamação.

A interpretação é que Falcão, se for bem, blindará os dirigentes da diretoria em uma disputa com outros candidatos. Sob o argumento de que ninguém será capaz de prometer troca de treinador envolvendo o ídolo.

Pedro Affatato, vice eleito e responsável pelas finanças, é outro a ser envolvido nas conjecturas políticas. Apontado como principal candidato da situação, ele foi integrado ao departamento de futebol nesta semana. Para quem não está no clube agora, uma ação que visa deixar o dirigente na vitrine. Ganhando espaço junto aos torcedores.

A atual gestão enxerga, nos protestos que se intensificaram nas últimas semanas, grande cunho político. Além de Vitorio Piffero e Carlos Pellegrini, presidente e vice de futebol, Alexandre Limeira, vice de administração, também tem sido criticado. Limeira foi um dos mentores do Gre-Nal de torcida mista e é contestado justamente por isso. Além de ser apontado como um dos responsáveis pela elitização do Beira-Rio após a reforma para Copa do Mundo, mas na época a direção era outra.

Até D'Alessandro aparece no meio do rolo. Emprestado ao River Plate, o gringo tem contrato válido até dezembro de 2017. Os dois lados garantem que ele volta, mas com motivos diferentes.

Neste momento, dois são os candidatos já conhecidos da eleição de dezembro. José Amarante, ex-vice de administração na gestão Giovanni Luigi, e Marcelo Medeiros, vice de futebol no mesmo período. A atual gestão deverá confirmar seu candidato somente perto do pleito.

No campo, o Internacional tem a chance de acalmar as coisas diante da Ponte Preta. Em Campinas, no próximo domingo, o time fará o segundo jogo sob o comando de Falcão. Há quatro partidas sem marcar, o Colorado soma 20 pontos e é 10º colocado no Brasileirão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos