Palmeiras vê quebra de contrato e age para lucrar quase o dobro com Jesus

Danilo Lavieri, Pedro Lopes e Ricardo Perrone *

Do UOL, em São Paulo

  • Eduardo Anizelli/Folhapress

    Gabriel Jesus comemora gol do Palmeiras sobre o Figueirense

    Gabriel Jesus comemora gol do Palmeiras sobre o Figueirense

Por contrato, o Palmeiras teria direito a 30% de uma venda de Gabriel Jesus para o exterior; o departamento jurídico do clube paulista, entretanto, viu uma quebra de contrato do empresário Fábio Caran, e age para pegar para si os 22,5% que pertenciam a ele, que é ex-agente de Gabriel. Se tiver sucesso, o alviverde passará a ter 52,5% do atacante, lucrando quase o dobro com a venda.

Para renovar contrato com Gabriel Jesus, o Palmeiras teve que ceder 70% de seus direitos econômicos: 47,5% à CR Sports, do agente Cristiano Simões, e 22,5% a Naima Ferreira, mulher de Fábio Caran. Uma cláusula no contrato previa que ninguém poderia repassar ou vender seu percentual, sob pena de multa e perda dos direitos. Para o alviverde, Caran e sua mulher violaram essa cláusula.

Reprodução

Os 22,5% foram repassados pelo Palmeiras a Naima através de uma empresa individual, que levava seu nome e tinha ela como única sócia e proprietária. Naima, entretanto, depois de assinado o contrato, transformou a empresa individual em uma sociedade limitada, com mais dois sócios.

Nesta operação, Naima ficou com apenas 1% da empresa, agora chamada Naima Ferreira Ltda. Os 99% restantes do patrimônio da empresa, que inclui os direitos econômicos de Jesus, ficaram com dois sócios que chegaram, Reinaldo Muhammad Mahmud Ayesh e Marco Francisco Lopez Redondo. Para o Palmeiras, Caran e a esposa, através dessa operação, repassaram os direitos sobre o atacante para estes terceiros sem autorização.

A operação é alvo de uma ação judicial do Palmeiras. Se vencer, o clube passa a deter 52,5% sobre o atacante, e pode lucrar muito mais em uma venda para a Europa. No caso da proposta atual do Manchester City (32,5 milhões de euros – R$ 117 milhões), o faturamento do alviverde subiria de R$ 35,1 milhões para R$ 61,4 milhões; o lucro praticamente dobraria.

No caso de uma proposta de 40 milhões de euros (R$ 144 milhões), como acenou o Manchester United, o valor ao qual teria direito o Palmeiras cresceria de R$ 43,2 milhões para R$ 75,6 milhões.

O Palmeiras tentou resolver o assunto de forma extrajudicial, notificando a Naima. Em resposta, a empresa, através dos seus advogados, negou qualquer quebra de contrato, afirmou que a Naima Ltda. manteve seu CNPJ e apenas transformou se de empresa individual em sociedade.

O UOL Esporte tentou contato por telefone e mensagens com Fábio Caran diversas vezes. Em um telefonema e uma troca rápida de mensagens, o empresário apenas negou que tenha repassado direitos de Gabriel Jesus. O Palmeiras, por sua vez, não comenta fatos que sejam alvo de ações judiciais.

A reportagem também tentou contato nos telefones registrados em nome da Naima Ltda, e tentou falar com os sócios Reinaldo Ayesh e Marco Redondo (este último se retirou da sociedade), sem sucesso. Chegou a conseguir um número identificado como celular de Reinaldo, mas ele não atendeu às ligações.

* colaborou José Edgar de Matos

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos