Aposta do Grêmio tentou 'fugir' da lateral e ouviu profecia de Roger

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Divulgação/FD Assessoria

    Iago cobra lateral em sua estreia como titular do Grêmio, contra o São Paulo

    Iago cobra lateral em sua estreia como titular do Grêmio, contra o São Paulo

A lateral esquerda do Grêmio é um local de muita responsabilidade atualmente. No reservado está Roger, que antes mesmo de ser conhecido também por seu sobrenome vestia a camisa 6 do Tricolor e com ela conquistou Libertadores, Brasileiro, Recopa, Copa do Brasil, entre tantos outros títulos. E era exatamente esta posição que Iago tentava evitar na carreira. Deixou o Fluminense por causa disso. Só que acabou convencido, ouviu uma 'profecia' de seu atual treinador e começou a ganhar espaço. 

No Flu, Iago era 'camisa 10' e já mostrava qualidades. Mas pela força, era indicado pelos treinadores da base a tornar-se lateral. Não queria aceitar de forma alguma. Tanto que resolveu ir embora. 
 
"Joguei por cinco anos no Fluminense. Saí de lá porque não queria ser lateral. Jogava com a camisa 10, era meia. Saí um pouco brigado por isso. Vim para o Grêmio há três anos e comecei jogando no tripé de meio-campo, pela esquerda. Subi para o transição [time que une jogadores da base com atletas pouco aproveitados] e sempre que dava o Roger [Machado, técnico] via os treinamentos. Ele me dizia que era para eu ir para a lateral. Graças a Deus subi e trabalhei muito pela oportunidade. Acho que consegui mostrar um bom futebol", contou em entrevista exclusiva ao UOL Esporte na terça-feira, dois dias depois de ter recebido rasgados elogios do treinador após a primeira chance de titular, contra o São Paulo. 
 
O primeiro vínculo com o clube de Porto Alegre aconteceu em 2013. Iago chegou por empréstimo no mesmo molde que teve sucesso com Luan, Walace, Everton, entre outros jogadores. Se aprovado, ficaria no grupo. E foi, tanto que no mesmo ano acabou tendo direitos comprados. "Eu tive outras propostas, mas junto com meu empresário achamos melhor o Grêmio", comentou. 
 
Ainda como meia, nos times inferiores, Iago rejeitava a chance de se tornar lateral. Não queria atribuições defensivas. Foi convencido por Roger Machado, que lhe ofereceu oportunidade no principal apenas por ali. 
 
"Ele teve 100% de participação nisso. Me chamou e disse que na lateral eu teria mais chances", revelou. "Depois do jogo (contra o São Paulo, primeiro como titular do Grêmio) ele me chamou e disse: viu, neguinho (sic), não queria ser lateral, agora você vai ficar rico jogando na lateral", profetizou. 
 
E sob essas palavras Iago reflete até hoje. Tanto que já tem objetivos imediatos e ídolo na função. Quer se aprimorar na marcação, na bola aérea, e elege um jogador de berço semelhante como espelho. 
 
"Estou trabalhando muito para me aprimorar, aprendendo a cada dia. No começo do jogo (contra o São Paulo) fiquei um pouco ansioso, mas depois o jogo rolou normalmente. Me espelho no Marcelo, do Real Madrid. Também começou como meia e no Fluminense", disse. 
 
Com 1,71 de altura e contrato até 2018, sobrará tempo para tentar aproximar-se de um exemplo mais presente: o próprio Roger. Atleta que, aos 21 anos, Iago não lembra de ter visto jogar. "Vi vídeos no Youtube e ele jogava muito, gosto do estilo dele", elogiou. 
 
A titularidade ainda não é realidade. Marcelo Oliveira deve retomar posto diante do América-MG no domingo, mas mesmo suplente, a condição aceita de lateral já alegra a aposta gremista. "Quero me firmar e poder ajudar cada vez mais", finalizou. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos