Buffarini revela que vontade de jogar no SP não depende de Bauza

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

Após longa expectativa, o São Paulo finalmente apresentou nesta sexta-feira o lateral direito Buffarini. Embora tenha trabalhado com Edgardo Bauza no San Lorenzo e seja um atleta de confiança do treinador, o reforço garantiu que tinha vontade de defende o clube brasileiro antes da chegada de Patón, e que sua vinda não depende do comandante.

"Estou agradecido ao clube, que fez o esforço, já se vinha falando no meu nome antes da chegada do Patón. Depois veio o Paton, tenho a confiança dele pelo momento que vivemos no San Lorenzo. Foi esse clube que confiou em mim, eu vou tratar de entrar em campo e retribuir a confiança".

O lateral também revelou momentos de tensão com a indefinição na Fifa sobre sua chegada. Segundo ele, houve muita expectativa entre ele e seus representantes – a entidade precisou analisar um atraso na transação que teria estourado a janela de transferências.

"Sim, foi uma semana que ficaram loucos meus representantes e eu. No San Lorenzo, treinava com o grupo para cuidar do físico, mas tinha muita vontade de vir para cá. Estou muito contente e com muita vontade", afirmou.

Entrevista com Buffarini

Sobre o São Paulo:

Estou muito contende de poder estar em um clube tão grande, com muita história como o São Paulo. Depois de tantas idas e voltas, pude ter a sorte de acertar. Uma felicidade muito grande. Espero poder me adaptar rápido para estar à altura.

Sobre possível saída do treinador:

Com respeito ao que pode acontecer com Patón, se ele for para a seleção [argentina], eu ficaria muito contente. Se ele for, acho que é o sonho de qualquer treinador, assim como de qualquer jogador. Sempre me acostumei a lutar por um lugar, o lugar se ganha treinando no dia a dia, e depois nas partidas.

Adaptação ao país:

Eu vou também falar com eles [estrangeiros do time], para que eles possam ir te guiando neste começo. A realidade é que nós temos que nos adaptar ao país, quem tomou a decisão de vir a outro país fomos nós. Tenho muita vontade de me adaptar ao clube, à cidade.

Não falei com nenhum dos argentinos, conheço muito o São Paulo desde o momento em que nos enfrentamos na fase de grupos. Eu segui durante toda a Libertadores

Tenho muita vontade de aprender muitas coisas, inclusive o idioma. A expectativa são as mesmas que tive quando me apresentaram no San Lorenzo. Muita vontade, vontade de conquistar coisas. Tomara que aconteça o que aconteceu no San Lorenzo, ganhar mundial e títulos. Seria um sonho meu também poder conquistar títulos aqui.

Atuar na lateral:

Com respeito à posição, o Patón me utilizou no lado direito em todos os jogos. Me sinto confortável, sempre joguei pela direita. Nos últimos dois, três anos, me colocaram na lateral e me acostumei. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos