Zagueiro da era Parmalat leiloa medalha do Palmeiras 93 e camisas

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

Na época com vinte e poucos anos, Alexandre Rosa atuou no Palmeiras entre 1990 e 1994, sendo parte de um dos maiores times da história do clube alviverde. Ao lado de Edmundo, Evair, Roberto Carlos, César Sampaio e outros craques, foi campeão paulista e brasileiro de 1993. Mais de duas décadas depois, o ex-zagueiro está levando a leilão a medalha da histórica conquista estadual, ao lado de outros itens históricos de seu acervo, que inclui uma camisa da Portuguesa de 1992, que pertenceu a Dener, craque morto precocemente em um acidente de carro em 1994.

O motivo do leilão, conduzido pelo site Ídolos Éternos, é peculiar: ajudar uma senhora de mais de 70 anos que vive em Cerquilho (150 km de SP), cidade natal de Alexandre. Ela tem um problema de saúde na boca, e o ex-jogador quer presenteá-la com um novo sorriso. Ao UOL Esporte, Alexandre falou sobre o leilão, o amigo Dener e sua experiência na China antes do "boom" do futebol de lá, que atraiu vários brasileiros.

Não colocaria a medalha em um leilão à toa, por um motivo qualquer."

Por que leiloar itens tão históricos?

"Tem uma senhora de idade aqui na minha cidade, Cerquilho. Ela é de idade, está precisando fazer uma prótese bucal, com implante de dentes e tudo mais. Ela está com dificuldade em se alimentar, mastigar, engolir alimentos, e quero ajudar. Os produtos têm um histórico, né? Estão guardados comigo e tudo mais. Será uma realização pessoal para essa senhora de setenta e poucos anos que não quer se expor, ela tem vergonha. A maior realização da vida dela é poder ter um sorriso sadio. Não colocaria a medalha em um leilão à toa, por um motivo qualquer. Uma coisa fantástica como foi essa conquista, não venderia por uma razão banal."

Como o leilão pode ajudar?

"Estou com o desejo grande de que, até o Natal, essa pessoa possa estar realizada. Estou ansioso e esperançoso. Ela está atada pelas dificuldades, pela idade, pelo transtorno de vergonha que ela tem. Estou pensando em fazer uma visita à Mancha (organizada do Palmeiras), dar uma ênfase a isso, pedir ajuda. O tratamento está na faixa de R$ 8 mil; se levantar uns R$ 7 mil, é praticamente 90% que vou ajudar essa pessoa."

A gente fala que quem montou o elenco foi o Otacílio Gonçalves, 80% do grupo foi ele que montou em 92"

O que essa medalha representa? Como foi fazer parte do Palmeiras de 93?

"Eu era garoto, aprendi muito com os mais velhos - o Evair, voltando da Europa, o César Sampaio, Velloso, Carlos. O Palmeiras montou um grupo, investiu junto com a Parmalat, mas o projeto era para conquistar o título lá para 95. Em 92, no primeiro ano de Parmalat, a gente conseguiu chegar na final do Paulista e só perdeu para o São Paulo do Telê, que era o time a ser batido. Em 93, a Parmalat investiu um pouco mais. O plantel era muito bom, cheio de estrelas, mas não tinha vaidade, e conseguiu realizar o desejo de toda a nação palmeirense (os títulos de 93 quebraram jejum de mais de 16 anos). É lembrado em qualquer canto que tenha um palmeirense, como se tivesse jogado semana passada. Montou uma constelação e todo mundo estava querendo entrar para história."

Comecei a jogar futebol com o Dener, tínhamos 8, 9 anos. A gente manteve sempre amizade, morava próximo ali no Limão"

Participação no começo e no fim desse time

"Começou com a chegada do Otacílio Gonçalves (treinador) em 92, ele que montou o elenco. O Cuca (atual técnico do Palmeiras) jogou em 92, a gente teve uma arrancada no Brasileiro, conseguiu chegar bem, apesar de não conseguir o título. Até hoje, internamente, a gente fala que quem montou o elenco foi o Otacílio, 80% do grupo foi ele que montou em 92. Depois 93, 94, vieram peças e manteve a base, até 95. Em 96 depois foi montado aquele ataque extraordinário, com Muller, Djalminha, que marcou 100 gols no Paulista."

Leilão inclui camisa que pertenceu a Dener

"Comecei a jogar futebol com o Dener, tínhamos 8, 9 anos. Ele foi depois para Portuguesa, eu fui para o Palmeiras. A gente manteve sempre amizade, morava próximo ali no Limão (bairro da zona norte de São Paulo). Virava e mexia se encontrava, indo, voltando do treino. Nesse jogo que a gente fez no Canindé, trocou camisa, não lembro a data. Um ano, um ano e meio depois, ele veio a falecer daquele jeito (acidente de automóvel em 1994). Foi um jogo no Canindé, Palmeiras e Portuguesa, não lembro se foi 0 a 0, 1 a 1. Foram muito jogos, eu nunca me preocupei."

Passagem pelo futebol chinês em 2001, antes do "boom" local

"Nessa época, o futebol chinês já era comparado com o japonês! Eu ligava para os amigos aqui falando que era uma potência, o país. Os estádios eram grandes arenas, a organização, a compra de ingressos era carnê para o campeonato inteiro. Eu recebia um kit de treinamento, com as datas de viagens da temporada, tudo já programado. Nível profissional era muito alto. Não tinha o marketing que hoje atingiu, mas em termos de estrutura, ligava para amigos e falava: 'você não faz ideia do que é esse país'."

Comparação China x Brasil

"Eram sete anos antes da Olimpíada, todos os estádios estavam prontos! Quase tudo estava montado, realizado, estava só aguardando a época e chegar a Olimpíada. A nossa, a uma semana de começar, estamos passando a maior vergonha do mundo, né? Tem esse paralelo."

Informações sobre o leilão

O leilão acontece o site Ídolos Eternos até o dia 26/08.

Lista completa de produtos

  • medalha de campeão paulista de 1993 do Palmeiras
  • camisa da Portuguesa de 1992 utilizada por Dener
  • camisa do Bragantino de 1991 utilizada por Biro Biro
  • camisa do Corinthians da final do Paulista de 1993 utilizada por Paulo Sérgio
  • camisa do Santos do Brasileiro de 1993
  • camisa do Guarani do Paulista de 1992 utilizada por Raudinei

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos