Como o livro de Tite virou novo obstáculo para reconciliação com Felipão

Dassler Marques

Do UOL, em Brasília

  • Ricardo Nogueira/Folhapress

    Amizade foi abalada por dois episódios em tempos de Corinthians x Palmeiras

    Amizade foi abalada por dois episódios em tempos de Corinthians x Palmeiras

Designado para uma viagem de observação de atletas e elaboração de relatórios na China para a seleção brasileira, o auxiliar e filho de Tite, Matheus Bachi, não fez qualquer tipo de contato com Luiz Felipe Scolari. Ele é o treinador do Guangzhou, líder e favorito à conquista do título da Superliga Chinesa, além de equipe de três brasileiros que são protagonistas do torneio. 

As partes não se aproximaram na última semana, em um contato que parecia óbvio se levados em conta os interesses da seleção brasileira. O clima entre os dois treinadores, que já foram grandes amigos, é ruim há aproximadamente cinco anos. Mas, para Felipão, um fato recente não caiu bem. Não apenas nele, mas em seus homens de confiança, como Flávio Murtosa (auxiliar), Darlan Schneider (preparador físico) e Carlos Pracidelli (preparador de goleiros). 

O depoimento do agora treinador da seleção ao livro "Tite", de autoria da jornalista Camila Mattoso e recentemente publicado pela Editora Panda Books, incomodou o técnico do Brasil em 2014 e pentacampeão do mundo em 2002. Em dois trechos (ver mais abaixo), a publicação revela motivos para Tite ter se afastado de Felipão.

Ao livro, o irmão de Tite, Miro Bachi, insinua que Scolari havia facilitado uma derrota pelo Palmeiras para dificultar a busca do Corinthians pelo Brasileiro 2010. A publicação também revela que, meses antes, Felipão magoou o treinador corintiano ao fazer um comentário piedoso sobre o colega que poderia ser demitido caso perdesse um dérbi paulista na ocasião. 

Tite assegurou que vai procurar Felipão nos próximos dias

De acordo com o apurado pela reportagem, o agora treinador da seleção brasileira vai procurar Luiz Felipe Scolari antes de realizar a primeira convocação, prevista para 15 de agosto. Tite inclusive já tentou estabelecer contato com Felipão recentemente, mas não teve sucesso.

Na avaliação de Tite, não seria de bom tom pedir para que o filho Matheus falasse com Scolari sem que a situação fosse conversada entre os dois. A ideia dele é tentar aparar ao menos parte das arestas criadas com Felipão. No processo de buscar técnicos, empregados ou não, para trocar informações, Tite é quem tem centralizado os diálogos. Esse é um motivo importante também para que o auxiliar Matheus não tenha ido ao encontro de Felipão durante a viagem à China. 

O novo técnico da seleção acredita que é importante estreitar contatos com outros colegas de profissão e, em 40 dias no cargo, já conversou com mais de 20. O papo com Scolari é classificado ainda como fundamental, já que o comandante do Guangzhou trabalhou na Copa 2014 com vários possíveis convocados para as Eliminatórias da Rússia. 

Filho de Tite foi à China para fazer observações pontuais de atletas

Ao contrário da expectativa de que pudesse fazer um acompanhamento mais longo das equipes chinesas, Matheus Bachi passou só quatro dias no país asiático. A ideia dessa primeira viagem foi abrir caminho e fazer observações pontuais de alguns jogadores.

Entre os possíveis nomes, já que são destaques na Superliga Local, estão o zagueiro Gil (Shandong), os volantes Paulinho (Guangzhou), Jucilei (Shandong), Ramires (Jiangsu), Ralf (Beijing Guoan), o meia Ricardo Goulart (Guangzhou) e os atacantes Alan (Guangzhou), Elkeson (Shanghai) e Alex Teixeira (Jiangsu). Na segunda divisão, pelo Tianji, ainda atuam Jadson, Geuvânio e Luís Fabiano.  

O primeiro episódio relatado no livro

"Felipão deu naquela semana uma declaração polêmica, reproduzida abaixo, que acabou rompendo publicamente a relação dos dois, com direito a troca de farpas em entrevistas.  'Eu fico desestimulado ao saber que o Tite pode cair com uma derrota. Todos devem assumir o que aconteceu no Corinthians. Se tivesse que dizer algo agora sobre a chance de o Tite sair, falaria que gostaria até de perder esse jogo'".

NR.: Tite havia sido eliminado pelo Tolima na primeira fase da Libertadores e corria risco de demissão. No clássico entre as equipes, o Corinthians dele venceu o Palmeiras de Felipão por 1 a 0, com gol de Alessandro. 

O segundo episódio relatado no livro

"O Felipe Scolari entregou o jogo contra o Fluminense no Brasileiro de 2010. É uma boa pessoa, mas é um profissional que se transforma. O Felipe é malandragem, é ganhar de qualquer jeito. É um cara de família e eu admiro ele por isso. Mas entra em campo e esquece da vida. Ali acabou a relação". 

NR.: O depoimento é de Miro Bachi, irmão de Tite, e foi confirmado pelo treinador à autora. A menção é a Palmeiras x Fluminense, na Arena Barueri. O time dirigido por Felipão saiu na frente, mas levou a virada diante de pedidos de 'entrega' que vinham das arquibancadas. O Flu foi campeão brasileiro. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos