Presidente da Fifa tem gastos aprovados após investigação interna

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS

    Comitê de Ética da Fifa concluiu que despesas de Gianni Infantino não violaram regras

    Comitê de Ética da Fifa concluiu que despesas de Gianni Infantino não violaram regras

O Comitê de Ética da Fifa considerou que o presidente da entidade, Gianni Infantino, não cometeu irregularidade em gastos feitos no início de governo na entidade. O dirigente foi investigado por despesas relacionadas a diversos voos já como mandatário e contratações de funcionários em seu gabinete. A câmara de investigação concluiu que não houve violação de regras.

Os benefícios usufruídos por Infantino com verba da Fifa não se caracterizam interesses pessoais.

O presidente da entidade foi submetido a investigação do Comitê de Ética, enquadrado em cinco artigos, entre as quais regras de conduta, conflito de interesse, oferta e aceitação de presentes e lealdade.

Em nota no site da Fifa, Infantino comunicou que aprova a apuração de gastos para que haja transparência e melhoria da reputação da entidade. "A verdade prevaleceu".

Infantino está no Brasil, onde visitou a sede da CBF, na quinta-feira. O presidente da Fifa declarou que a presença na entidade, no Rio de Janeiro, serviu para se aproximar dos clubes nacionais.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos