Inter abre negociação e aguarda proposta da Globo para 2021-2024

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Divulgação e Arte UOL

    Internacional tem contrato com o Esporte Interativo entre 2019 e 2021

    Internacional tem contrato com o Esporte Interativo entre 2019 e 2021

O Internacional aguarda para a próxima semana a oficialização de uma proposta da Globo para compra dos direitos de transmissão entre os anos de 2021 e 2024. O plano é levar a oferta para debate no conselho deliberativo até o início do próximo mês. Ao mesmo tempo, uma ação na Justiça impede que o clube obtenha antecipação de receitas.

Depois de assinar com o Grupo Turner, que controla o Esporte Interativo, para o biênio 2019-2020 (apenas transmissão em TV fechada), o Inter foi procurado pela Globosat. Na pauta, uma oferta para as demais plataformas que não são cobertas pelo canal concorrente e também negociação sobre o futuro.
 
Na semana passada, no Rio de Janeiro, dirigentes do Inter se encontraram com executivos da Globo e avançaram nas conversas sobre um acordo. A proposta oficial, contudo, ainda não foi apresentada.
 
Em março, o Internacional assinou com o Esporte Interativo e foi contra a ordem dos grandes clubes brasileiros – que ficaram ao lado da Globo. O contrato exclusivo para TV fechada rendeu R$ 13 milhões de luvas. O aditivo de prorrogação do vínculo até 2024 - também apenas em TV fechada - ainda não foi votado no conselho deliberativo. Se acionado, ele renderá mais R$ 27 milhões de luvas.
 

Estatuto vai parar na Justiça

 
Em meio aos debates sobre contratos de direitos de transmissão, o Inter viu seu novo estatuto social virar assunto na Justiça. Um grupo de conselheiros ligados ao movimento 'Acorda, Conselho', impetrou ação contra o presidente do clube gaúcho, Vitorio Piffero.
 
Na última segunda-feira, a 12ª Câmara Cível de Porto Alegre concedeu antecipação de tutela e fez valer os efeitos da reforma estatutária do Inter, antes mesmo do registro oficial do documento. A ideia do processo é eliminar as chances do clube antecipar receitas até que o novo documento seja protocolado oficialmente.
 
O novo estatuto do Inter foi aprovado em 21 de maio, após assembleia geral, e altera o regime de comando do clube. A atual gestão justifica a demora no registro em erros no texto encaminhado para oficialização. De acordo com a diretoria, 14 pontos precisaram passar por alteração. As mudanças serão levadas para análise do conselho deliberativo e após esta etapa, seguirão novamente para o cartório.
 
A oposição entende que, mesmo se necessárias as mudanças, os efeitos da reforma precisam valer desde já. O grupo de conselheiros entrou com ação em junho contra Vitorio Piffero, presidente do Inter. O processo citando o dirigente como pessoa física pede o registro imediato do novo estatuto. Após ser negada tutela de urgência, um agravo de instrumento conseguiu antecipação de tutela.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos