FERJ tira jogadores refugiados da cota que limita estrangeiros

  • Getty Images

    FERJ se inspira no COI e faz política de inclusão para atletas refugiados

    FERJ se inspira no COI e faz política de inclusão para atletas refugiados

A FERJ (Federação de Futebol do Rio de Janeiro) anunciou nesta segunda-feira (15) que atletas refugiados não serão mais considerados estrangeiros nas competições organizadas pela entidade. 

Na prática, o ato vai fazer com que jogadores refugiados não sofram com as limitações de vagas para os estrangeiros. Assim, serão equiparados aos atletas brasileiros desportivamente.

A ação foi feita em parceira com a ONG Viva Rio. O acordo será assinado no dia 1º de setembro, às 11 horas, no auditório da federação. 

Segundo a FERJ, o projeto é uma iniciativa da advogada Luciana Lopes da Costa, que se inspirou na política de integração do COI para os atletas refugiados nos Jogos Olímpicos Rio-2016.

Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas, o número de refugiados no Brasil cresceu 2900% no último ano.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos