Daniel Alves critica imprensa: "Não estamos no futebol para aparecer"

Do UOL, em São Paulo

  • Max Rossi/Reuters

    Daniel Alves reclamou da postura da imprensa com os jogadores

    Daniel Alves reclamou da postura da imprensa com os jogadores

O lateral direito Daniel Alves foi convocado pelo técnico Tite na manhã desta segunda-feira para integrar o elenco que disputará os jogos contra Equador e Colômbia, válidos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

A situação da seleção brasileira na competição é delicada, já que o Brasil ocupa a sexta colocação, duas abaixo da última que garante vaga para o torneio que será disputado na Rússia. No entanto, em entrevista ao programa "Seleção Sportv", Dani Alves ressaltou que o momento ruim não o abala, já que está acostumado às críticas, especialmente da imprensa.

"Não é que o jogador seja insensível com relação às críticas que vem da imprensa e dos torcedores. A mim, o que me incomoda e que me molesta por trás das críticas não é o fato de que o resultado não tá sendo o esperado, nem por nós, nem por eles. Mas sim a dúvida de que realmente estamos comprometidos com a causa, se realmente merecemos estar dentro da seleção brasileira, representando o país", avaliou Dani Alves, que acrescentou:

"Eu acredito que é o papel de vocês e do torcedor, até porque às vezes o torcedor pensa mais com o coração do que com a cabeça, então estão sempre perdoados. A imprensa ou certos comentaristas levam um pouco mais além do que é a parte futebolística. Isso é o que incomoda, que cria essa sensibilidade do jogador para com a imprensa e às vezes faz com que tenha um pouco de desavenças."

Ainda segundo o atleta, deveria existir mais respeito na relação entre jogadores e imprensa. Dani Alves fez questão de ressaltar que, quando um jogador opta por defender a seleção, está abrindo mão de coisas que poderia estar fazendo para representar o seu país. No entanto, é necessário entender que nem sempre o resultado é alcançado, mesmo sendo para isso que eles trabalham.

"Da nossa parte (o que incomoda) é quando passa da parte futebolística. Eu acredito que, quando o rendimento não é satisfatório, a cobrança tem que existir. Estamos acostumados com isso. Não trabalhamos para ter maus resultados, trabalhamos para ter êxito no que a gente faz. Mas somos os primeiros (a nos cobrarmos). Acho que as pessoas perdem um pouco a noção disso. Acham que estamos no futebol para aparecer e nos vangloriarmos de estar na seleção. A gente sabe quando joga bem e quando não, quando apresentamos um grande trabalho. Somos os primeiros críticos. Eu sou crítico do mal, quando não faço um trabalho final bem, sou um dos primeiros críticos, porque passo toda semana trabalhando, ralando, para ter o resultado final", explicou Dani Alves.

Durante sua análise, sobrou uma leve alfinetada em uma declaração dada por Galvão Bueno após o segundo jogo da seleção olímpica no torneio, quando os jogadores, especialmente Neymar, optaram por não dar entrevistas. Para o jogador, o fato de conversar com a imprensa após as partidas é uma demonstração de respeito pelo trabalho dos jornalistas, e não uma obrigação, e que os jornalistas deveriam ter uma postura semelhante com os jogadores quando o resultado não é alcançado.

"Normalmente, os torcedores e jornalistas só olham o trabalho final. Eles veem o jogo e julgam isso além da conta. A gente não, a gente trabalha. A partir do momento que a gente se prepara para que no final de semana obter isso. Quando não é, a gente fica frustrado, vai pro quarto e pensa o que poderia e pode fazer de melhor. Acredito que o respeito dentro dos jogadores para com a imprensa vem a partir do momento em que você não teve um bom dia, não teve boa atuação, e ainda para para atende-los, porque o respeito existe neste momento. Você é obrigado a passar ali, mas não é obrigado a parar, dar explicação pra ninguém. O respeito dos jogadores para com a imprensa é a partir desse momento. Se a gente para para explicar, debater, é um respeito, porque vocês estão ali fazendo o trabalho de vocês, e nós estamos fazendo o nosso, pensando que o resultado vai ser sempre obtido. O profissional que trabalha para obter maus resultados não é um profissional, está ali para passar o tempo, e por isso as pessoas não entendem a gente", salientou Alves.

Por fim, o lateral ressaltou que não se importa em receber críticas, já que é a partir delas que é possível evoluir como pessoa e como atleta. Contudo, o lateral destacou que é importante que as pessoas saibam a maneira de fazer essas críticas.

"Não reclamo nunca de críticas quando elas não excedem. Quando jogo futebol e faço um trabalho de merda, estou preparado para as críticas, porque sei que vou melhorar. Agora se faço um trabalho de merda e sou elogiado por isso, tem algo errado", concluiu Alves.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos