De comentarista a candidato a vereador: Dinamite busca rumo após Vasco

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Divulgação / Facebook

    Roberto Dinamite já está em campanha para vereador do Rio de Janeiro

    Roberto Dinamite já está em campanha para vereador do Rio de Janeiro

Foram seis anos na presidência do Vasco, dois rebaixamentos, um título da Copa do Brasil e mais críticas do que elogios. Longe do clube comandando hoje por seu desafeto Eurico Miranda, Roberto Dinamite busca um rumo em sua vida profissional.

Até bem pouco tempo, o ex-jogador e ídolo cruzmaltino atacou de comentarista na Band e na Rádio Bradesco Esportes. Agora, abdicou da função para se candidatar a vereador do Rio de Janeiro pelo partido Solidariedade.

Aproveitando-se da Rio 2016, Dinamite tem como uma das maiores promessas de candidatura cuidar do "legado olímpico" e projetar talentos para os Jogos de Tóquio em 2020.

Além da missão parlamentar, Roberto ainda tem dado palestras.

Persona non grata

Roberto Dinamite é considerado uma "persona non grata" pela atual diretoria do Vasco. Eurico Miranda e seus companheiros consideram o ex-atacante como o principal culpado pelo delicado estado financeiro que se encontra o clube.

A última vez em que Dinamite esteve em um evento no Cruzmaltino foi na eleição na sede náutica, em novembro de 2014, quando deixou o local antes do fim da sessão. 

'Não caí de paraquedas'

Em comunicado oficial em sua página no Facebook, Roberto Dinamite emitiu sua posição sobre a reportagem. Em relação às funções, o candidato esclareceu:

"... Minha vida sempre teve rumos. Perdemos e vencemos, algo que o esporte me ensinou. Tenho feito eventos, clínicas e por convite da direção geral da TV bandeirantes, a quem agradeço pelo enorme carinho e onde fiz muitos amigos, iniciei a atividade de analista de futebol, seja na TV ou na radio Bradesco, do Grupo Bandeirantes de comunicação. Não procurei ninguém, fui chamado e, com alegria, aceitei. Foi e está sendo ótimo. No entanto, diferente do que foi "desinformado" na matéria, não abdiquei do posto na TV e rádio, e sim fui obrigado, por legislação eleitoral, a não exercer, por enquanto, a atividade. Mas tenho da direção do grupo Bandeirantes a intenção de continuar com os meus serviços no período pós eleição". 

Sobre às promessas políticas, detalhou:

"...Não cai de paraquedas no esporte, fui atleta olímpico sim, em Munique 1972, fato noticiado por vários sites e jornais, o que não creio que tenha sido feito pelo referido órgão. Tenho base para lutar por legados olímpicos. Apoio há muito tempo projetos de outros esportes que não somente o futebol. Durante a época de Deputado e vereador, dei suporte a formação de jovens, preocupados não somente como atletas, mas como seres humanos, o que deveria ser apurado. Portanto, não preciso aproveitar da ocasião. Tenho lastro para isso, quero sim cobrar e buscar uso das nossas arenas e áreas esportivas. O prefeito Eduardo Paes é um amigo, Vascaino como eu, e que sabe da minha importância e peso na busca por novos horizontes usando o esporte como caminho para a inclusão.

Apoio ao esporte é feito com responsabilidade, sem endividamento. Populismo não combina com investimento no esporte. Precisamos olhar para frente, buscar novos ares e venho como vereador para fazer diferente..."  

*Atualizada com o comunicado às 8h15 do dia 24 de agosto de 2016

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos