Geração perdida: Por onde anda o time campeão brasileiro Sub-20 do Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Divulgação/Grêmio

    Time do Grêmio campeão brasileiro da categoria Sub-20 em 2008

    Time do Grêmio campeão brasileiro da categoria Sub-20 em 2008

Se no principal o Grêmio não conquista um título relevante há 15 anos, o mesmo não pode se dizer da base. Em 2008, o Tricolor conquistava o Campeonato Brasileiro da categoria Sub-20 - última antes do profissional. De pronto mostrava-se animado com a evolução dos garotos, considerava-se com uma geração que renderia muito no futuro. Enganou-se. 

Nenhum deles chegou a brilhar no profissional do clube. Poucos tiveram chances de fato, mas logo foram arquivados. Hoje há quem tenha largado o futebol ou perambule por mercados alternativos e times pequenos. 
 
"Foram dois títulos naquele ano. Primeiro a Taça BH, depois o Brasileiro. O Grêmio nunca havia conquistado uma competição nacional de juniores. Do time da Taça BH, o Douglas Costa subiu e hoje todos sabem do sucesso dele. Em seguida veio o Brasileiro, no fim do ano, e muitos dos jogadores chegaram a ser aproveitados. Outros seguiram suas vidas. Eram muitos jogadores, mas creio que nos quatro anos que tive na base do Grêmio, fiquei muito feliz porque promovemos mais de 35 jogadores, conquistamos oito títulos e chegamos a 11 finais. A transição foi bem feita", disse Julinho Camargo, técnico campeão na ocasião, ao UOL Esporte. 
 
Autores de gols, destaques do torneio, todos acabaram perdendo-se. Talvez também motivados pelas frequentes mudanças no comando da base gremista - a cada troca de gestão - nenhum dos jovens acabou rendendo o esperado. Mithyuê, por exemplo, melhor daquela competição, voltou ao futebol de salão.
 
"O camisa 10 daquele time era o Roberson (atualmente no Juventude autor de dois gols contra o São Paulo na quarta-feira), mas ele se machucou nas quartas de final e entrou o Mithyuê, que acabou com os dois últimos jogos", contou. "A geração foi bem aproveitada, sim. Tivemos vendas para Europa, pequenas vendas no clube, jogadores que se formaram. Às vezes um ou outro se perdem no caminho, sobem antes que deveriam, mas aí é uma estrutura que precisa ser respeitada, do clube", completou. 
 

Confira por onde andam os principais jogadores da campanha do título brasileiro do Grêmio:

 
Fernando Júnior (goleiro) - Rodou apenas por clubes pequenos no Brasil e hoje defende o Benfica de Luanda, em Angola. 
Lucas (lateral direito) - Depois do Grêmio, jogou no River Plate do Uruguai e largou o futebol profissional em 2014 depois de defender o Juventus de Jaraguá do Sul.
Wágner (zagueiro) - Fez carreira pelo interior gaúcho, esteve na Portuguesa e no São Caetano, hoje defende o Sampaio Corrêa. 
Jean (zagueiro) - Joga no Caxias, clube que defendeu por seis anos. 
Marçal (lateral esquerdo) - Fez carreira em Portugal e pertence ao Benfica. Na última temporada atuou por empréstimo no Guingamp, da França. 
Paulinho (volante) - Jogou no Vasco e foi vendido ao futebol japonês em 2010. Hoje joga no Matsumoto Yamaga, da segunda divisão de lá. 
Bruno Renan (volante) - Considerado promessa valiosa, foi vendido ao Shaktar Donetsk, da Ucrânia, mas jamais emplacou. Voltou ao Brasil em 2013 e está no América-RN.
Fernando Ribeiro/Divulgação Criciúma
Dhiego Souza (meia) - Defendeu apenas clubes pequenos e tem contrato até novembro com o Juventude. 
Mithyuê (meia) - Chegou ao profissional do Grêmio, oscilou e perdeu espaço. Rodou por clubes pequenos e resolveu abandonar o futebol. Voltou ao futsal e defende o Magnus Sorocaba.
Neco Varella/Freelancer
Rafael Paraíba (atacante) - 'Mudou de nom' para Rafael Pilões. Esteve no futebol da Croácia e em clubes menores. Neste ano defendeu o São Paulo-RS no Gauchão e hoje está no Aimoré-RS.
Rafael Martins (atacante) - Sensação no futebol português pelo Moreirense, Rafael Martins foi cotado no Cruzeiro, mas acabou indo para o Levante, da Espanha.

Divulgação/Moreirense

Também estavam no grupo:

Sérgio (lateral direito) - Foi liberado pelo Grêmio em 2010 para o ASA-AL. Rodou por clubes pequenos e largou o futebol profissional em 2014, quando defendeu a Cabofriense. 
Bruno Collaço (lateral esquerdo) - Se profissionalizou no Grêmio, jogou um tempo pelo clube, esteve em Ponte Preta, Goiás, Joinville, e desde 2014 defende o Sochaux, da França. 
Marinho Saldanha/UOL Esporte
Marcus Vinícius (zagueiro) - Defendeu apenas clubes menores, o último foi o Metropolitano-SC em 2013. 
Roberson (atacante) - Jogou no Grêmio, no Sport e até no futebol da Argélia. Está no Juventude e fez dois gois no São Paulo pela Copa do Brasil. 
Marcello Zambrana/AGIF
Wesley (atacante) - Rodou por clubes do interior, defendeu o Goiás no ano passado e atualmente está no Aimoré-RS. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos