Mourinho diz que prefere usar jovens da base a Schweinsteiger no United

Do UOL, em São Paulo

  • Jon Super/AP

O técnico José Mourinho tomou uma decisão polêmica em seu início de trabalho no Manchester United: afastar o meio-campista Bastian Schweinsteiger.

Após o atleta manifestar-se por meio de sua rede social e dizer que não defenderá outro clube na Europa após terminar sua passagem pelo Manchester United, salientando que estará à disposição do clube para caso Mourinho precise dele, foi a vez do técnico português comentar a situação do alemão.

Em tom crítico, Mourinho afirmou que Schweinsteiger está dentro do seu direito em querer cumprir os dois anos de contrato que lhe restam. No entanto, deixou claro que não conta com atleta e que irá preferir lançar atletas sub-23 a escalar o alemão de 32 anos, que ganha 160 mil libras semanais (R$ 681 mil).

"Ele conversou comigo. Não posso responder por ele. É a vida e a carreira dele. Bastian tem contrato com o United e o direito de tomar esta decisão e permanecer. Então, não é um problema para nós. Eu acho que será muito difícil para ele (jogar). Não estou dizendo que é impossível, mas que é muito difícil. Se eu tiver qualquer tipo de problema ou oportunidade, tenho alguns jovens atletas na academia que eu ficaria mais do que feliz em acelerar o processo (de adaptação) deles", minimizou Mourinho.

Apesar da aparente indiferença, Mourinho não deixou de alfinetar o atleta por indicar que adotará uma postura passiva, aceitando permanecer no clube mesmo sem ter oportunidades de entrar em campo.

"O futebol é feito de decisões. Eu sabia isso durante toda minha carreira, não apenas eu, mas todos sabem. Alguns jogadores reagem de maneiras diferentes e tomam decisões diferentes. Para ser honesto, o Bastian não está falando muito. Ele deu seu depoimento, o qual ele é completamente livre para fazer de forma objetiva e educada", explicou o técnico.

Ainda segundo o técnico, sua decisão de afastar o atleta foi motivada pela forte concorrência no meio-campo dos Red Devils. Além disso, contribuiu o baixo rendimento demonstrado na última temporada, quando Schweinsteiger conviveu com lesões.

"Nós tomamos a decisão baseada em Pogba, Herrera, Schneiderlin, Fellaini e Carrick. Nós temos cinco jogadores para duas posições. É muito, muito difícil que uma oportunidade chegue (para Bastian). Eu tenho 23 jogadores no elenco e, a princípio, não quero que ninguém deixe o clube e nem que ninguém chegue. 23 jogadores são mais do que suficiente", analisou Mourinho.

Por fim, Mourinho ainda adotou tom irônico para rebater as críticas feitas por dirigentes do Bayern de Munique, ex-clube de Schweinsteiger, sobre a forma que o meio-campista alemão foi tratado. O ex-treinador bávaro, Ottmar Hitzfeld, e o diretor-executivo do Bayern, Karl-Heinz Rummenigge, foram os autores das críticas.

"Eu pensei que, após ler alguns comentários de pessoas do Bayern de Munique, eles correriam para Manchester para leva-lo de volta. Mas não, isso não aconteceu. Estou surpreso que o senhor Rummenigge não esteja aqui agora", ironizou Mourinho. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos