Cristóvão defende zagueiros e vê problema de marcação no Corinthians

Do UOL, em São Paulo

  • ANTÔNIO CÍCERO/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Depois da contundente vitória da Ponte Preta por 2 a 0 sobre o Corinthians, no sábado passado, o treinador Cristóvão Borges tenta recuperar a equipe em pouco tempo. Na avaliação dele, os problemas defensivos apresentados em Campinas têm relação com a marcação e não com desempenho ruim dos zagueiros. O próximo compromisso corintiano será diante do Fluminense, na quarta, pela Copa do Brasil. 

"Discordo de que Yago e Balbuena são lentos. Essa avaliação, quando tivemos resultados positivos, não aparecia. A equipe desempenhava de uma forma que não acontecia. Agora, nessa fase, não está. Jogar alta (defensores adiantados) ela já jogava e não aparecia que eram lentos. A distância a percorrer pelos zagueiros, eles têm possibilidade de percorrer, não precisam ser velocistas", comentou Cristóvão. 

"A equipe deixou de marcar bem, essa é a dificuldade. Para a defesa ir bem, a equipe tem de ir bem. A defesa vai bem quando o time marca bem e é bem organizado. Sem isso, não tem defesa que resista. Trabalhamos para que a equipe volte a defender bem, para termos uma solidez defensiva elogiável", acrescentou Cristóvão em sua análise. 

O treinador também se mostrou compreensivo em relação à paciência pequena dos torcedores com a equipe que é quarta colocada do Brasileirão. "A gente não pode exigir da torcida, como trabalhamos num mundo real, algo que é difícil deles fazerem. Eles são semelhantes. Querem o mesmo que queremos. Muitas vezes não é um estalar de dedos, é com trabalho. O torcedor quer resultado positivo e ver o time jogar bem. Você pedir para que tenham paciência é muito difícil, nem sempre ela consegue. Ela tem desejo, quer ver os jogadores brigando", declarou. 

Por outro lado, Cristóvão viu a cobrança como indevida. "Em relação a nosso posicionamento, não é compatível (a cobrança). Se comparar com outras equipes com elenco definido, o que nós não temos, elas estão conosco. Nossa situação é diferente de todas as outras que brigam. Não é compatível. Merecemos uma força maior (da torcida), pelas dificuldades, estamos a duas rodadas do líder. Isso tem de ser levado em consideração", disse. 

Confira o que mais disse Cristóvão Borges:

IMPORTÂNCIA DA COPA DO BRASIL
Na medida que você ganha, você moraliza, ganha confiança. É um campeonato importante no Brasil. Temos compromisso com título. Avançar dá confiança, isso fica atrelado nas duas competições. Uma vitória será importante nos dois campeonatos. 

ESTRATÉGIA CONTRA O FLUMINENSE
No Rio, vamos jogar para ganhar. Buscar a vitória. É difícil. Se eu quiser colocar o Corinthians defendendo, ele dificilmente vai ganhar. Defende bem, mas não joga se defendendo. Joga para ganhar.

COMO JOGAR FORA DE CASA
Mata-mata por rodada vai eliminando. É ter sucesso na sua estratégia. O campeonato dá condições de equipes com menos tradição ganhar título. É diferente. Às vezes, se você tenta poupar em uma partida ou outra, o campeonato é traiçoeiro. 

POUPAR?
Amanhã fazemos a primeira partida e depois tem outra com bastante tempo. Mais perto do final você precisa fazer opções. Por enquanto, vamos estar normalmente brigando pelas duas competições.

PRESSIONADO
O cargo de treinador no Brasil não traz segurança a ninguém, nem na seleção. Está atrelado a um monte de coisa, principalmente resultados. Mas estou num clube que avalia o trabalho que está se fazendo. Fazemos um consciente do que está acontecendo. Refazemos uma equipe que foi quase totalmente renovada. Requer tempo. Estamos perdendo e trazendo novos.

SEM CORPO MOLE NO GRUPO
Esse tipo de problema não tem. A gente trabalha bem, os jogadores estão comprometidos. É acidente de percurso. Não tem comparativo, não fizemos isso no ano. Sentimos dificuldades no jogo, perdemos um zagueiro e eles sentiram a perda. Jogo não estava fluindo, saíram na frente e o jogo favoreceu a maneira deles jogar. Não encaixamos.

MUITAS MUDANÇAS
Estamos buscando todas as definições, de equipe, de sistema, por isso temos experimentado e trocado, atrás de solidez. Isso tem de vir com boas atuações e bom resultados. Já demonstramos que podemos ir bem, nas últimas partidas oscilamos, temos de corrigir. Temos consciência disso. Para ter essa firmeza, é preciso regularidade. Temos de alcançar isso logo para deixar todos confiantes.

GUSTAVO, NOVO CENTROAVANTE
Essa coisa é um pouco apressada, fez um treino só, é como jogar um jogo só. É pouco para uma avaliação. Foi contratado porque o achamos bom jogador, e ele é mesmo. Treinou bem, está à vontade. Vamos prepará-lo para os jogos.

TROCA DE BRUNO HENRIQUE POR CRISTIAN
Não tem problema, por característica e posicionamento, não muda muito. Bruno vinha jogando. Cristian é experiente, conhece a posição. Já jogamos nesse sistema algumas vezes e ele não vai ter dificuldades.

JEAN, NOVO VOLANTE
Com Gustavo, com a saída do André, estávamos sem referência. Agora temos, podemos jogar com ou sem. E Jean, na posição, estávamos precisando. Ele foi bem no Paranaense, foi bem, esperamos que tenha mesma felicidade.

RILDO DE SAÍDA?
Assim como outros, o que quero para mim, quando possível, quero contar com todos. Os que saíram, não conseguimos segurar. Como não participou ainda de muitos jogos, está nessa situação. Meu desejo é permanececer com todos eles. Às vezes, por cláusula contratual não consegue segurar.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos