Falcão não vê explicação para demissão no Inter: "Ninguém entende"

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/SC Internacional

    Falcão ficou 27 dias no cargo e não venceu nenhum dos cinco jogos

    Falcão ficou 27 dias no cargo e não venceu nenhum dos cinco jogos

Paulo Roberto Falcão falou sobre sua demissão no Internacional. Vinte e três dias depois de ser dispensado, o ex-treinador do Colorado disse que ainda não entendeu a decisão do clube gaúcho. Afirmou ter ficado surpreso com o convite e posterior desligamento e revelou ter indicado psicóloga para trabalhar com os jogadores.

"As pessoas me perguntaram na Itália sobre isso, fui a uma janta com diretores da Roma. Eu disse que não tenho explicação para o que aconteceu. Eu até teria, mas não vem ao caso. De qualquer maneira, eles não conseguiram entender e ninguém entende", disse Falcão à Rádio Guaíba.

Logo após a demissão, Falcão emitiu nota oficial e disse que não recebeu os reforços solicitados. Também citou o curto período de trabalho.

Contratado para substituir Argel Fucks, Paulo Roberto Falcão ficou no cargo durante 27 dias. No período, o Internacional jogou cinco partidas. Com dois empates e três derrotas.

"Me surpreendi, evidentemente, assim como me surpreendi com o convite. Foram nove treinos. Enfim... Me perguntaram como eu me sentia e eu disse que fui digerindo, armazenando coisas e às vezes criando armadura externa. Não significa que a gente não sofra, mas vamos criando calo. Eu não estou totalmente calejado", afirmou.

A demissão de Falcao precedeu uma grande reforma no departamento de futebol. Com a volta do ex-presidente Fernando Carvalho, do diretor executivo Newton Drummond e de Celso Roth. Mesmo depois da nova mudança, o time gaúcho não conseguiu voltar a vencer. São 14 partidas de jejum. Somando Argel, Paulo Roberto Falcao e Roth.

"Tomará que o Internacional possa sair dessa situação. Não é uma situação fácil, o clube não está acostumado com ela também. A tendência é melhorar, não tem como não melhorar...", opinou. "Quando saí, o time não estava na zona do rebaixamento. E faltava um turno inteiro. Não era uma situação desesperadora, e nem é agora. Falta tempo ainda. Mas a vitória precisa vir", disse.

Por fim, o 'Rei de Roma' revelou ter pedido a contratação de um profissional para atuar junto ao grupo. Uma psicóloga. Depois da demissão de Falcão, o Inter também buscou auxílio do motivador Evandro Motta, que não permaneceu na comissão técnica por problemas pessoais.

"Eu senti o grupo sem confiança. Muito sem confiança. E conversando com o presidente, pensei em trazer um profissional para essa área. Ela me ajudou no Sport, trabalhou na seleção brasileira. Achei que poderia ajudar. Foi a Suzy Fleury que eu busquei. Ela chegou no dia do jogo com o Cruzeiro e trabalhou também antes da partida com o Fluminense", revelou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos