Economia de R$ 16 milhões e mais dinheiro: por que Corinthians vendeu Elias

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Ricardo Nogueira/Folhapress

    Elias fará exames médicos em Lisboa nesta quarta-feira para assinar com Sporting

    Elias fará exames médicos em Lisboa nesta quarta-feira para assinar com Sporting

A transferência de Elias do Corinthians para o Sporting-POR será definida após exames médicos nesta quarta-feira (31), em Lisboa, para onde o meia embarcou na noite de terça. O aspecto econômico foi crucial para o presidente Roberto de Andrade definir a negociação do oitavo titular campeão brasileiro de 2015.

Três pontos em especial na questão financeira foram levados em conta:

Salários: Elias, 31 anos, tinha o maior ordenado do clube (cerca de R$ 500 mil por mês). Para mantê-lo até o fim do contrato (dezembro/2017), o custo, se acrescidos encargos, férias e 13º salários, seria de R$ 9 milhões aproximadamente.

Dívida cancelada: o Corinthians ainda tinha duas parcelas (1 milhão de euros cada, em outubro de 2017 e 2018) a pagar pela compra de Elias ao mesmo Sporting-POR feita em 2014. A economia gerada é superior a R$ 7 milhões.

Dinheiro em caixa: além de cancelar a dívida, o Sporting topou pagar mais 1 milhão de euros (R$ 3,6 milhões) para o Corinthians e readquirir 50% dos direitos econômicos de Elias que havia vendido em 2014. Há uma semana, o clube português havia acordado a compra de André por mais 2 milhões de euros (R$ 7,2 milhões).

Com base nesses detalhes, a direção do Corinthians espera amenizar as críticas pela perda de mais um jogador transferido. Na última semana, o Palermo-ITA havia adquirido o volante Bruno Henrique. Sem Elias e ele, o treinador Cristóvão Borges tem novas baixas na equipe que tenta se recuperar: dos últimos cinco jogos, só uma vitória. Nesta quarta, contra o Fluminense, deverá jogar Camacho. 

Na direção corintiana, vender Elias já era desejo há mais de um ano em função das dificuldades de honrar o compromisso firmado pelo ex-presidente Mário Gobbi. O Corinthians autorizou ida ao Flamengo há um ano, mas o próprio volante não quis sair. Em 2016, a intenção era fechar negociação para a China, porém os negócios não foram adiante.

Como a briga Elias x Sporting foi contornada

Divulgação
Eliseu, pai de Elias, e Bruno Carvalho, presidente do Sporting: houve até processo na Fifa

A vontade do treinador Jorge Jesus em contar com Elias foi crucial para que o volante retornasse ao clube em que teve desgaste e até processo na Fifa entre 2013 e 2014. Em alta no Sporting, Jesus chegou a pedir a contratação do jogador quando ainda treinava o Benfica, há dois anos.

Uma cláusula que multiplicava o valor da multa rescisória para Porto e Benfica, porém, inviabilizou uma negociação naquele momento. Agora, Elias surge como resposta para as idas dos meio-campistas João Mário para o Inter de Milão (já oficial) e Adrien Silva para o Leicester City-ING (próximo de ser concluída).

Há dois anos, Elias deixou o Sporting sob desgaste considerável entre seu pai, Eliseu, e o presidente Bruno Carvalho, por serem pouco flexíveis em negociações que se arrastaram. De volta de empréstimo pelo Flamengo em 2013, ele permaneceu um semestre na equipe B. Dessa vez, a transferência foi realizada pela OTB Sports, que assumiu a representação do jogador no ano passado. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos