Inter fala em doping involuntário e prepara defesa para goleiro

Do UOL, em Porto Alegre

  • Divulgação/Site oficial do Internacional

O Internacional ainda aguarda o resultado da contraprova do exame antidoping de Jacsson, 22 anos, mas ao mesmo já se prepara para defender o goleiro no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Até o momento, o time gaúcho trabalha com possível doping involuntário. O jogador testou positivo para o uso de corticoide.

"Pode ter sido em um antigripal, uma pomada. Acreditamos que tenha sido doping involuntário. Ainda esperamos o resultado da contraprova também", disse Giovani Gazen, diretor jurídico do Internacional, à Rádio Guaíba.

O UOL Esporte mostrou que o Inter já solicitou a contraprova. O exame será realizado em laboratório nos Estados Unidos, sediado em Los Angeles. O resultado é aguardado em até 15 dias. Preventivamente, o jogador foi retirado do jogo contra o Fortaleza, pela Copa do Brasil.

Jacsson seria o reserva de Danilo Fernandes, em jogo válido pelas oitavas de final da competição. Um dia antes, o Inter foi comunicado pela CBF do resultado do exame e passou a estudar o caso. Mesmo sem suspensão preventiva, por conta do pedido de contraprova, o clube preferiu retirá-lo da partida.

Em 2015, o Internacional teve dois casos de doping no Brasileirão. Nilton e Wellington foram flagrados por uso de diurético proibido pela WADA (Agência Mundial Antidoping). A dupla foi suspensa por seis meses, mesmo após alegar uso involuntário da substância considerada um possível instrumento para mascarar anabolizantes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos