Endividado, Jobson espera salário atrasado do Botafogo para pagar fiança

Do UOL, em São Paulo

  • Vitor Silva / SSPress

Após passar mais de dois meses preso por acusação de estupro, Jobson tem novo desafio pela frente: recolocar a vida em ordem. Em liberdade provisória, o jogador está proibido de atuar profissionalmente até 2018 e espera receber salários atrasados para poder pagar seu advogado e acertar a fiança.

Segundo Jobson, suas dívidas estão divididas entre R$ 90 mil para o advogado e mais R$ 22 mil da fiança. Ele cobra o Botafogo por uma quantia referente ao fundo de garantira, mas descarta entrar na Justiça por ter um "carinho muito grande" pelo clube.

"Espero resolver logo isso. Estou há um tempo sem jogar e, você sabe, é complicado", disse o ex-botafoguense ao jornal Extra. A situação de Jobson pode se complicar ainda mais porque o dinheiro que ele espera foi parcelado pelo Botafogo no plano de pagamento de dívidas do Profut.

Longe dos gramados desde o ano passado, o atacante foi suspenso pela Fifa após se recusar a fazer exames antidoping quando atuava na Arábia Saudita. Enquanto não volta a jogar ele pretende manter a forma no Brasiliense, clube em que foi revelado.

Jobson foi preso no dia 23 de junho em Marabá, no Pará. No entanto, como os crimes aconteceram em sua chácara, no município de Couto Magalhães, o inquérito foi transferido para uma delegacia do Tocantins.

O ex-jogador é acusado dos crimes estupro de vulnerável, ameaça, disponibilização de fotografia pornográfica de adolescente na internet e oferecimento de bebida alcoólica à adolescente. Ele corre riscos de passar mais de 21 anos na prisão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos