Empolgação e clima de carnaval em Manaus ligam alerta na seleção

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Manaus (AM)

A pressão que rondava a seleção brasileira por conta dos resultados ruins nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018 e da troca no comando técnico parece não mais existir. A preocupação agora é outra: a euforia exagerada fora de campo às vésperas do próximo duelo da equipe – na terça (6), em Manaus, contra a Colômbia.

Se antes o grupo tentava se distanciar dos problemas, o desafio agora é não se envolver com o clima de Carnaval fora de época na capital amazonense. O ambiente festivo se dá pelo feriado prolongado na cidade nos próximos dias. Com comemorações na segunda – aniversário do Amazonas – e na quarta – Independência do Brasil –, Manaus vive dias intensos de expectativa pela partida de terça.

No último sábado (3), por exemplo, 15 mil pessoas marcaram presença na Arena da Amazônia para o primeiro treino do time na cidade. A festa terminou em invasão ao campo, Neymar derrubado e uma preocupação com a segurança do time. Do lado de fora, pouco mais de cinco mil fãs que não conseguiram entrar festejavam a presença dos craques.

Inicialmente, o evento era visto com bons olhos pela CBF, que celebrava o carinho do povo. Em outros jogos em casa nas Eliminatórias, a seleção chegou a receber algumas vaias em treinos abertos – Salvador e Recife.

Mas as falhas na segurança que permitiram uma invasão de aproximadamente 20 pessoas preocuparam. O clima de festa interrompia e atrapalhava uma atividade oficial comandada por Tite.

Os jogadores, porém, tentam não se envolver com o momento. "Vamos manter a calma e o pé no chão dentro de campo", comentou o meia Paulinho.

"Celebramos no momento da vitória do Equador, mas já viramos. Temos um time muito forte pela frente, grandes jogadores. Precisamos estar focados. Há o confronto, o choque. É um duelo tradicional. Vai ser difícil", completou o jogador, pensando apenas no duelo contra os colombianos.

Ao mesmo tempo que comissão técnica da seleção e estafe da CBF se preocupam com qualquer fator que desvie o foco do bom início de trabalho de Tite, há uma confiança que os jogadores não se deixarão levar pela festa.

Diante dos microfones, o discurso é um só: celebrar o resgate da sintonia entre seleção e torcida. "Para ter esse carinho, temos que fazer um bom trabalho dentro de campo. Uma coisa puxa a outra. Respeitamos o torcedor. Com os resultados aparecendo, esse carinho aparece naturalmente", analisou Paulinho.

Passada a comemoração interna pela vitória na estreia da era Tite, sobre o Equador, a ordem é vencer a Colômbia e manter a recuperação na ainda delicada trajetória nas Eliminatórias. Com 12 pontos em sete jogos disputados, o Brasil ainda amarga a quinta colocação – fora da zona de classificação direta para a Copa do Mundo 2018. Um resultado positivo na terça pode dar até mesmo a liderança à seleção, que encara Bolívia e Venezuela na sequência.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos