Ex-promessa do Corinthians chega a 26º clube e vive ostracismo no Amazonas

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Manaus (AM)

  • Fernando Santos/Folha Imagem

    Abuda corre em treino no Parque São Jorge. Atacante surgiu no Corinthians

    Abuda corre em treino no Parque São Jorge. Atacante surgiu no Corinthians

Ele começou a carreira no Corinthians, brilhou nas seleções de base e hoje está em Manaus para jogar futebol. O roteiro de Abuda poderia lembrar o de algum comandado do técnico Tite que defenderá o Brasil nesta terça (6), contra a Colômbia, na Arena da Amazônia, pelas Eliminatórias, mas a realidade é bem diferente. O atacante de 30 anos chegou à cidade há menos de um mês para defender seu 26º clube na carreira – o Rio Negro (AM) – e tenta superar o ostracismo de uma capital com estrutura distante daquela já vivida em São Paulo, Rio de Janeiro e grandes cidades da Europa.

A única aproximação de Abuda com o mundo cinco estrelas do futebol ocorreu na manhã de segunda (5), quando visitou Willian, seu ex-companheiro de Corinthians, no hotel que serve de concentração para a seleção brasileira. "Foi bom dar esse abraço nele aqui em Manaus. É meu parceiro. Jogamos uma Copa São Paulo em 2005", recordou.

Arquivo Pessoal
Abuda (d) visitou o ex-companheiro Willian (e) na concentração da seleção em Manaus

As passagens por grandes centros do futebol já fazem parte do passado. E Abuda não tem exatamente o sonho de voltar para grandes clubes. Os objetivos agora são mais modestos. "Sei que é muito difícil mesmo estar em um time grande novamente, fora da realidade. A ideia é fazer um bom trabalho aqui e conseguir, quem sabe, uma vaga em clube de segunda divisão para 2017", comentou.

E a caminhada para ser lembrado começa nesta quarta-feira. O atacante fará sua estreia pelo Rio Negro nesta quarta-feira (7), em partida diante do Nacional Borbense, na terceira rodada do Campeonato Amazonense.

"Estou feliz. É como se fosse meu primeiro time, estou motivado", disse, tentando evitar qualquer impressão de frustração por estar jogando em um local menos badalado. "É um desafio bom, melhor que ficar parado. A galera aqui me chamou, disse que estava fazendo um trabalho para divulgar o clube. Vamos ver se atrai alguns patrocinadores. Se tiver, eu levo um dinheiro a mais", explicou.

Manaus é apenas mais uma das dezenas de localidades espalhadas pelo mundo que já serviram de casa para Abuda. Após ser revelado pelo Corinthians, ele rodou por Rio de Janeiro, Pernambuco, Santa Catarina, Brasília, Maranhão e Paraná. Sem contar as viagens para Alemanha, Bélgica, França, Inglaterra, Emirados Árabes, Portugal e Japão.

"Rodei muito mesmo por aí. É muita coisa que acaba influenciando no trabalho. Tive muito empresário que me sacaneou, especialmente quando eu fui para fora do país. Gente que não me pagava, me dava volta, só me deixava na mão. A gente fica sem cabeça para treinar. Fui prejudicado quando passei pelo Wolfsburg [Alemanha] assim. Acabei perdendo as oportunidades", explicou o jogador que não completa uma temporada inteira no mesmo time desde 2008, quando defendeu o Avaí.

"Agora eu não trabalho mais com empresário. Eu mesmo que resolvo as coisas. Isso me ajuda. Mas infelizmente o tempo passou. Vou me adaptando aqui em Manaus", comentou Abuda.

Antes, o sonho de menino era jogar em grandes clubes, defender a seleção e atuar fora do país. "Já consegui isso, especialmente no Corinthians e na seleção sub-17", disso o atacante. "Agora eu só quero catar um clube bom para me fixar. Não quero mais aumentar essa conta de clubes. É jogar mais uns cinco anos, juntar uma graninha e poder parar", finalizou Abuda, campeão do mundo sub-17 em 2003 e agora atacante do lanterna do campeonato amazonense.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos