Como legislação brasileira moldou novo acordo de patrocínio do Corinthians

Guilherme Costa

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr./ Agência Corinthians

    Apresentação do novo patrocinador do Corinthians

    Apresentação do novo patrocinador do Corinthians

A legislação brasileira foi fundamental para desenhar o último contrato de patrocínio assinado pelo Corinthians. O time alvinegro apresentou na última terça-feira (06) uma parceria de três anos com a cervejaria espanhola Estrella Galicia, que desembolsará algo em torno de R$ 10 milhões por temporada de associação. Se não houvesse restrições impostas pela Justiça, porém, esse valor poderia ser bem maior.

O Brasil tem impeditivo para exposição de marcas de bebida em uniformes de times de futebol. Por isso, a Estrella Galicia ocupará apenas camisas de treino e roupas de viagem do Corinthians – e usará nos dois casos o logotipo de sua versão sem álcool.

"Não podemos jogar com propaganda de bebida alcoólica. Óbvio que se pudesse o valor cresceria", explicou Gustavo Herbetta, superintendente de marketing do Corinthians, em conversa com o UOL Esporte.

A questão é especialmente relevante para o Corinthians porque o clube tem uma meta de arrecadar R$ 70 milhões com propriedades do uniforme em 2016. A diretoria já tem contratos que somam R$ 47 milhões (R$ 30 milhões da Caixa Econômica Federal, R$ 10 milhões da Apollo Sports Capital e R$ 7 milhões da soma entre Tim e Special Dog), sem contar o aporte da Nike (como é balizado pelo dólar, o valor desembolsado pela fabricante de mateiral esportivo depende de cotação da moeda norte-americana).

O veto à exposição no uniforme, contudo, não foi o único ponto em que a legislação brasileira afetou a negociação do Corinthians com a Estrella Galicia. A empresa também esbarrou numa proibição municipal para venda de bebida alcoólica em estádios de futebol.

Portanto, além de não poder colocar sua marca no uniforme, a Estrella Galicia não pôde aproveitar o Corinthians como ponto de venda. A empresa sequer assinou com a Arena Corinthians – atualmente, os concessionários do estádio podem escolher as marcas que usam nos segmentos em que a cervejaria atua.

"Hoje em dia a gente pode vender a água e a cerveja zero da Estrella Galicia no estádio, mas isso ainda está sendo negociado", confirmou Herbetta.

A despeito de ser uma marca centenária na Espanha, onde já tem contratos com clubes de futebol (Celta de Vigo e Deportivo La Coruña, por exemplo), a Estrella Galicia é relativamente recente no mercado brasileiro. A empresa opera no país desde 2011 e ainda tenta ganhar espaço entre as marcas locais do segmento premium, faixa em que ela é líder no país de origem.

Como não pôde aproveitar as duas principais plataformas para aumentar o reconhecimento de marca, a Estrella Galicia concentrou seu acordo com o Corinthians em ações digitais. Algumas dessas iniciativas caminharão também para o mundo real – a primeira ativação com essa abrangência será realizada ainda em setembro.

Para fechar com os espanhóis, o Corinthians precisou romper contrato com a Ambev, que tinha a marca Brahma como cerveja oficial da equipe alvinegra. O negócio incluía uma série de descontos para os integrantes do plano Fiel Torcedor, mas essas vantagens não serão afetadas num primeiro momento.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos