Conversa com atletas e avaliação sobre Dátolo: as ações de Cunha no SP

Luis Augusto Simon, Luiza Oliveira e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

  • Rubens Chiri / Divulgação / São Paulo F.C

    Marco Aurélio Cunha quer dar mais poderes para Diego Lugano no time

    Marco Aurélio Cunha quer dar mais poderes para Diego Lugano no time

Marco Aurélio Cunha mal chegou ao São Paulo e já está dando as cartas. O novo diretor executivo de futebol do clube já está com a "mão na massa" e tem traçadas algumas diretrizes em seu retorno ao clube. Ele está comandando as negociações de chegada de reforços, quer dar mais poder a Diego Lugano e vai decidir o futuro dos atletas que ele considera que não vêm mostrando compromisso com o clube.

Marco Aurélio Cunha será apresentado neste sábado, no Morumbi, e começou a trabalhar antes disso. O dirigente pretende ter uma conversa olho no olho com jogadores que, em sua visão, não vêm demonstrando comprometimento e entender se eles pretendem mudar a postura. A reportagem apurou que atletas como Michel Bastos, Wesley e Carlinhos são alguns que estão na mira. 

O novo dirigente quer se reunir também com outros integrantes do elenco na noite de sábado para que o time tenha uma postura mais positiva contra o Figueirense, no domingo. A ideia é estimular a união e o comprometimento do grupo.

Ele considera importante dar um basta nos jogadores 'cansados'. "Cansado é o (jogador) que leva o trabalho como rotina e não como atleta de ponta. E é isso que a gente vai colocar lá, que o São Paulo é um clube de atletas de ponta, que sempre busca os melhores objetivos, que não pode ficar vendo as coisas passarem e assimilando aquilo como natural. É o sujeito que quer mudar uma situação, quer ganhar titulo, quer ter pôster na parede, que quer marcar a historia, não apenas está ali por um emprego, de passagem, algo que não tem repercussão futura. Cansado é esse. E acho que a gente vai identificar os que talvez estejam com menos comprometimento que os outros", disse, ao UOL Esporte.

Outra questão a ser avaliada por Marco Aurélio é a contratação do atacante Jesus Dátolo. O clube do Morumbi voltou a ter interesse no jogador e procurou o Atlético-MG na última quinta-feira para saber a situação dele. Mas ouviu que a diretoria só vai liberá-lo se tiver uma compensação financeira.

Como o contrato de Dátolo termina no fim do ano e, assim, ele ficará livre para defender outro clube, o São Paulo avalia o custo-benefício de fazer o investimento agora, restando apenas três meses para o fim do Campeonato Brasileiro. Marco Aurélio Cunha é peça fundamental nisso.

O dirigente, juntamente com o restante da cúpula tricolor, leva em conta o pagamento por um atleta que já tem 32 anos e o alto salário que gira em torno de R$ 300 mil. Além disso, o retrospecto físico do argentino é fundamental. Dátolo não vinha jogando no time mineiro e sofreu duas lesões em sequência. Uma dúvida é quantas partidas completas ele teria condições de jogar.

"Estamos fazendo uma análise profunda do Dátolo, uma análise física e financeira para ver o quanto ele pode ajudar o São Paulo ainda neste ano", disse.

O novo cartola não está focado apenas no mercado da bola. Outra missão no clube é dar mais poder a Diego Lugano. Para ele, o zagueiro está sendo pouco utilizado e, de certa forma, até desrespeitado. Lugano mostrou ser a quarta opção de Ricardo Gomes depois que o treinador colocou o jovem Lyanco no lugar de Rodrigo Caio, durante o clássico contra o Palmeiras.

Lugano poderia contribuir mais com sua história no clube e sua personalidade aguerrida, que ficaram marcadas na primeira passagem, especialmente em um momento de crise, com o time mal no Campeonato Brasileiro. "O Lugano é útil jogando e no vestiário. Ele é um jogador importante para o São Paulo com uma postura irretocável", afirmou Marco Aurélio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos