"Havia uma estratégia para derrubar Messi", acusa ex-presidente do Barça

Do UOL, em São Paulo

Joan Laporta, ex-presidente do Barcelona, fez questão de atacar novamente os atuais dirigentes do clube catalão. Nesta sexta-feira (9), durante a cerimônia de abertura de uma rua batizada de Johan Cruyff, Laporta criticou o presidente Josep Maria Bartomeu, e a nova diretoria, por deixar Lionel Messi enfrentar sozinho seu julgamento por fraude fiscal na Espanha, o que, segundo ele, era uma estratégia para fazer o argentino deixar o clube.

"Leo (Messi) é o melhor que temos, uma excelente pessoa e não fez tudo isso que a Justiça o acusa. Sabemos tudo que ele teve que pagar e é incrível que o Barcelona não esteve ao seu lado neste momento. É uma vergonha o presidente não ter acompanhado ele no dia do julgamento", atacou Laporta.

"Ficou claro que havia uma estratégia para que Messi deixasse Barcelona. Foi uma estratégia política-esportiva para chutá-lo para fora do clube. E foi totalmente negligenciada pelos dirigentes", completou. "Um dia vamos saber quanto os artistas e esportistas pagam de impostos e vão ver que Messi é um dos maiores contribuintes."

Messi e o pai do jogador, Jorge Horacio Messi, foram condenados na Espanha a 21 meses de prisão, além de pagamento de multa, por fraude fiscal. Os dois foram acusados de terem sonegado 4,1 milhões de euros em impostos e a sentença foi confirmada em julho deste ano pelas autoridades do país.

A condenação, no entanto, não implicou em prisão. Isto porque a lei espanhola prevê que condenados a menos de dois anos de prisão e sem antecedentes criminais cumpram suas sentenças em liberdade condicional.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos