Wada notifica FPF sobre exame de Alecsandro; estafe pede efeito suspensivo

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag Palmeiras

    Alecsandro disputou apenas seis partidas no Campeonato Brasileiro

    Alecsandro disputou apenas seis partidas no Campeonato Brasileiro

A Agência Mundial Antidoping (Wada) informou nesta sexta-feira a Federação Paulista de Futebol (FPF) sobre o novo exame do atacante Alecsandro. Além da entidade, a ABCD (Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem) também recebeu o documento. A entidade, em nota, confirmou a notificação - no ofício, a Wada diz que o atleta "não deve ser considerado como tendo cometido uma violação da regra antidoping".

"O Comitê científico da Wada reconheceu que a presença do metabólito da substância proibida Andarine na amostra do jogador seja a consequência do uso, pelo jogador, da loção [contra queda de cabelo] contendo flutamida. Considerou, ainda, que na fase atual do conhecimento científico, o jogador não deve ser considerado como tendo cometido uma violação da regra antidoping", disse a FPF.

Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o advogado do jogador, Bichara Abidão Neto, disse que o estafe do atleta entrou nesta quinta com um pedido de efeito suspensivo junto ao pleno do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). Alecsandro, dessa forma, poderia voltar aos gramados após a concessão.

Abidão Neto afirmou ainda que há possibilidade de uma sessão de julgamento antes de o caso ser arquivado. "Ainda não sei dizer como o tribunal fará", disse o advogado do atacante do Palmeiras.

O Palmeiras, por sua vez, aguarda uma notificação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e da FPF para saber quando poderá contar com o jogador. O time alviverde enfrentará o Grêmio no próximo domingo, em Porto Alegre.
 
No início de agosto, o TJD suspendeu Alecsandro por dois anos. Na partida contra o Corinthians, em abril, o atacante havia sido flagrado em exame antidoping pelo uso de agentes anabolizantes. 
 
Confira a nota na íntegra
 
A Comissão de Controle de Doping da Federação Paulista de Futebol, informa que nesta data, recebeu após questionamento junto à Agência Mundial Antidoping – WADA, e ao OLYMPIC ANALYTICAL LABORATORY – UCLA, um ofício denominado "Caso 0960 / 2016 – Sr. Alecsandro Barbosa Felisbino".
 
Extraindo-se dos documentos técnicos, a Amostra A e B 3982601, pertencente ao jogador Alecsandro Barbosa Felisbino, da Sociedade Esportiva Palmeiras, contém a substância O-dephenylandarine.
 
Entende-se, definitivamente, que o OLYMPIC ANALYTICAL LABORATORY – UCLA realizou com competência a análise laboratorial, utilizando-se do perfil amplo, de substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping – WADA.
 
O Comitê científico da WADA reconheceu que a presença do metabólito da substância proibida Andarine na amostra do jogador seja a consequência do uso, pelo jogador, da loção contendo flutamida. Considerou, ainda, que na fase atual do conhecimento científico, o Jogador não deve ser considerado como tendo cometido uma violação da regra antidoping.
 
Há de se considerar que este é o primeiro caso relatado no mundo com esta interação metabólica em seres humanos.
 
Em prosseguimento ao caso, a Comissão de Controle de Doping da Federação Paulista de Futebol, de imediato, notificará todos os órgãos competentes.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos