Ex-jogador francês admite ter forçado choro para sair do Barça de Van Gaal

Do UOL, em São Paulo

  • Andreu Dalmau/AFP

    Brasileiros Giovanni e Sonny Anderson ao lado do francês Dugarry no Barcelona

    Brasileiros Giovanni e Sonny Anderson ao lado do francês Dugarry no Barcelona

O francês Cristophe Dugarry, que passou pelo Barcelona na temporada 1997-98, é o mais novo atleta a vir a público para manifestar seu desprezo ao técnico Louis Van Gaal, que deixou o Manchester United após o meio do ano sem deixar muitos amigos na Inglaterra. Campeão do mundo pela França em 1998, o ex-atacante contou nesta quarta-feira (14) a um programa do canal RMC que foi ao escritório do técnico para pedir para sair, pois tinha medo de perder a Copa do Mundo por não ser titular no no clube catalão.

"Passei seis meses me perguntando o que ele pintava ali. Era surrealista! Tinha assinado por três temporadas, mas fui ao escritório de Van Gaal para lhe pedir que me deixasse ir", revelou o ex-jogador, que atuou apenas sete vezes pelo Barça naquela temporada.

"Jacquet (o técnico da França na época) tinha dito aos jogadores que tínhamos que ser titulares nos nossos clubes para jogar a Copa do Mundo. Então fingi chorar e disse a Van Gaal: "não aguento mais, quero sair!", relatou o ex-atleta, dando risadas.

Ele lembrou que o técnico pediu que ele ficasse, que acreditava em seu futebol. "Foram seis meses horríveis, vivi um inferno", contou Dugarry, que relatou ter sido utilizado como camisa 6 do time, quando sua posição era no ataque.

Os desejos do francês foram realizados, pois ele deixou o Barça para concluir a temporada no Olympique de Marselha, onde pode entrar mais vezes em campo e ficou até 2000. Neste meio tempo, conquistou o primeiro e único Mundial da história da França.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos