Após ver Corinthians fora do G4, diretoria apoia Cristóvão e "ignora" Roger

Do UOL, em São Paulo

  • Rubens Cavallari/Folhapress

O diretor-adjunto de futebol do Corinthians, Eduardo Ferreira, resolveu se manifestar na tarde desta quinta-feira (15) para voltar a dar apoio para Cristóvão Borges.

Em entrevista coletiva, o dirigente repetiu palavras ditas por ele e pelo presidente, Roberto de Andrade, e pediu paciência da torcida com o trabalho em desenvolvimento.

A aparição pública vem após o time sair do G4 do Campeonato Brasileiro por causa do empate por 1 a 1 com o Coritiba e uma crescente pressão em cima do treinador. No sábado, os corintianos recebem o líder Palmeiras.

"Estou aqui hoje para falar para todos que não tem nada desse momento drástico que colocam. Estamos preparados para o resto do campeonato, principalmente para o jogo de sábado. O time se concentra hoje. E o Cristóvão é o técnico do Corinthians. Não existe nada além disso", afirmou.

Eduardo Ferreira usou palavras genéricas, mas preferiu não bancar o comandante em caso de eliminação na Copa do Brasil. Ainda segundo ele, não há multa contratual entre o clube e o treinador.

"Não dá para pensar o que vai acontecer amanhã. O time está focado para o clássico. Nem 72 horas de descanso, mas o time vai forte. O Corinthians, apesar de ser um clássico agora, vem correndo e lutando todos os jogos. Você vê a competitividade dos atletas", analisou.

"Se você for pegar em termos de criação, vem tendo mais oportunidades do que o time antes com Tite. Cada treinador tem seu modo de trabalhar, seu jeito. Saíram 20 jogadores, mas vários chegaram. Alguns ainda tem a mostrar", completou.

Demissão de Roger assombra Cristóvão

O pedido de demissão de Roger Carvalho do Grêmio na noite da última quarta-feira abriu margem para uma série de especulações no Corinthians.

Livre no mercado, o técnico seria favorito de parte do conselho para assumir a equipe. Ele já foi, inclusive, consultado pelos corintianos antes da contratação de Cristóvão.

"Não vou falar sobre o Roger. Ele está livre agora, treinador de nome forte, mas garanto a vocês que não existe nada. Importante o torcedor ter esse apoio, aos jogadores e ao treinador. É importante sábado e no restante do campeonato. Pedimos que o torcedor entenda o trabalho, chegou no meio do campeonato, não fez pré-temporada. Se tivéssemos problema com ele, não seria nosso treinador", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos