Guardiola exige desculpas para escalar Touré e é atacado por agente de novo

Do UOL, em São Paulo

  • Reuters / Bobby Yip

 

A declaração do empresário Dimitri Seluk de que Yaya Touré estava sendo humilhado no Manchester City deixou Pep Guardiola irritado a ponto de o treinador exigir desculpas para voltar a escalar o meio-campista marfinense.

Em entrevista nesta terça-feira, o técnico foi duro em sua avaliação sobre a situação do jogador, que não foi inscrito na Liga dos Campeões e está encostado no elenco. Touré voltou a treinar com o grupo na segunda, mas precisará de mais para voltar a jogar pelo Manchester City.

"Ele continuará fora, ao menos que haja um pedido de desculpas, em primeiro lugar, com o clube, depois com os seus companheiros (de Touré) e por último com o treinador. Se não fizer isso, não joga", disse Guardiola, que condenou as declarações do empresário sem tirar a responsabilidade do jogador pela polêmica.

"Um empresário tem que fazer seu trabalho. Se ele tem um problema, deveria falar com as pessoas no clube", disse.

A exigência de Guardiola logo foi rebatida pelo agente Dimitri Seluk. Segundo ele, não há motivos para ele pedir desculpas. "Bem, eu preciso pedir desculpas pelo que?", disse em entrevista à Sky Sports, antes de voltar a atacar Guardiola.

"Eu vou pedir desculpas a Guardiola se ele pedir desculpas a Pellegrini (antigo técnico do City). Se você é um cavalheiro isso simplesmente não acontece. Ele assinou um novo contrato no ano passado, então ele (Pellegrini) foi empurrado para fora para o Guardiola entrar", disse.
 
"Guardiola também precisa se desculpar com Joe Hart (goleiro que foi emprestado para o Torino). Não é certo vir para a Inglaterra e, em seguida, se livrar de alguns jogadores ingleses. Guardiola quer um novo futuro para Yaya e para Hart, mas eles não querem", continuou, antes de arrematar. "Ele ganhou uns poucos jogos e acha que é um rei".  
 
O novo bate-boca entre Guardiola e Seluk acontece no mesmo dia em que o jogador anunciou sua aposentadoria da seleção marfinense. No comunicado, porém, Touré ressaltou que continuará a serviço do Manchester City.

A polêmica entre Guardiola e Yayá Touré teve início com a decisão do treinador em excluir o marfinense da lista de inscritos do City para a Liga dos Campeões. O jogador já não estava sendo aproveitado pelo técnico na temporada.

Porém, a relação entre os dois já era conturbada há anos. "Guardiola não confiava em mim. Sempre que falávamos, ele me deixava sem resposta e era pouco claro nas justificativas para me deixar fora da equipe", chegou a afirmar à rádio catalã ONA FM após dois anos de banco de reservas sob comando do técnico.

Touré tinha 25 anos na época e perdeu espaço para Sergio Busquets. Agora, aos 33, tem concorrência de Fernandinho, Gundogan e Fabian Delph, e só terá chances de atuar em competições domésticas como o Campeonato Inglês, a FA Cup e a Copa da Liga.

Diante da situação, o empresário deu a declaração que tirou Guardiola do sério. "Se ele (Guardiola) ganhar a Liga dos Campeões com o City nesta temporada então eu viajarei para a Inglaterra e direi na televisão que é o Pep Guardiola é o melhor treinador do mundo. Mas se o City não vencer a Liga os Campeões, então eu espero que Pep tenha 'colhões' de dizer que ele estava errado em humilhar um grande jogador como Yaya", disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos