Nem faltas são divididas: como é a postura de Neymar na ausência de Messi

João Henrique Marques

Do UOL, em Barcelona (Espanha)

  • Albert Gea/Reuters

Falta, pênalti, drible e chute de fora da área. Sem Messi, Neymar toma conta do Barcelona. O camisa 11 acredita que precisa ser o jogador decisivo do time e, além de mudar a postura tática em campo, não dá espaço para os companheiros dividirem responsabilidades. Ao UOL Esporte, amigos do brasileiro relatam como é sua postura sem o argentino, que deve repetir o que ocorreu nas outras oportunidades em que o craque do time estava lesionado.

Será comum nos próximos jogos do Barcelona ver Neymar arriscando mais finalizações. Isso aconteceu, por exemplo, minutos após a lesão de Messi contra o Atlético de Madri na quarta-feira, quando o brasileiro tirou o marcador Gabi da frente para chutar de fora da área.

Nas cobranças de pênalti e faltas próximas à área, Neymar vai dominar as funções. A postura será a mesma de quando joga pela seleção brasileira.

Em duelos importantes do Barcelona sem Messi, Neymar já se destacou em funções individuais. Foi assim em gol de falta na vitória contra o Atlético de Madri por 2 a 1 – Messi jogou os 30 minutos finais. Duas cobranças de pênaltis também foram executadas e convertidas pelo brasileiro.

Neymar passou a sentir confiança em substituir Messi em sua terceira temporada pelo clube, no ano passado. Na ocasião, o treinador Luis Enrique deu o poder da escolha do posicionamento em campo. Algo diferente do que aconteceu quando o argentino Tata Martino comandava o time na temporada 2013 e 2014 e colocava Neymar como centroavante nos duelos do Barça sem Messi em campo.

Neymar escolheu atuar do centro para a esquerda, diferentemente de Messi que atua do centro para a direita. Para isso ser viável, Luis Enrique mudou o esquema do Barça do 4-3-3 para 4-4-2. Reforçar o meio-campo dá mais segurança para Neymar arriscar dribles em qualquer setor.

O auge de Neymar sem Messi foi a vitória por 4 a 0 do Barcelona no clássico contra o Real Madrid, em pleno Santiago Bernabéu. O argentino retornava de lesão e entrou somente aos 20 minutos do segundo tempo com a vantagem de 3 a 0 no placar. Até lá, Neymar já havia contribuído com um gol e uma assistência de letra para Iniesta marcar.

O período de Neymar sem Messi na temporada passada foi avaliado como o melhor momento do brasileiro no clube. Em um total de 11 jogos – incluindo dois em que Messi não participou nem de metade da partida -, o brasileiro fez 11 gols e deu sete assistências. O companheiro de ataque Luiz Suárez teve desempenho semelhante, com 11 gols e quatro assistências. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos