Por que o Inter garante Celso Roth mesmo com quatro derrotas seguidas

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    Celso Roth está no cargo há 46 dias e sofre contestação pela fase do time

    Celso Roth está no cargo há 46 dias e sofre contestação pela fase do time

Celso Roth é e continuará sendo treinador do Internacional, independentemente do resultado diante do Atlético-MG, no domingo (25), em jogo da 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. O respaldo interno e externo não é mero discurso e se justifica ainda na crença de que o time possa melhorar.

Sob o comando de Roth, o Inter disputou nove partidas. Conseguiu apenas duas vitórias (uma no Brasileirão e outra na Copa do Brasil, no jogo de ida com o Fortaleza) e tem cinco derrotas. Aproveitamento de 29%.

A diretoria, entretanto, é 100% alinhada com as ideias de Celso Roth. Tem bom diálogo e mantém debate constante sobre o momento do time e o cenário na luta contra o rebaixamento. A relação e a filosofia de trabalho compatível são os alicerces do treinador no cargo.

O rendimento do time, contudo, ainda está abaixo do esperado. A imaturidade do elenco e poucas peças diferentes à disposição são lembradas para atenuar o desempenho. As quatro derrotas seguidas (Atlético-PR, Vitória, América-MG e Fortaleza) ligaram alerta para a dificuldade em estabelecer padrão e evoluir.

"Nós temos que recolocar os jogadores no nível emocional compatível com o clube. Trabalhar no dia a dia, dar suporte para o treinador treinar, dar palestras, organizar reuniões e conversas diárias", disse Fernando Carvalho, vice de futebol.

A ideia do Inter para fugir do rebaixamento é baseada em cinco vitórias e um empate. Todos os triunfos em casa, com apoio da torcida para agregar diferencial competitivo. Os confrontos diretos contra rebaixáveis são outro trunfo para pular dos atuais 27 pontos para os 43 necessários, na projeção atual.

A outra parte da ideia que sustenta Celso Roth, mesmo com toda pressão possível dentro e fora do clube, diz respeito ao contexto. Em caso de demissão, o Internacional abrirá novo processo de sucessão. Pela quarta vez na temporada. E com pouco tempo pela frente para iniciar um trabalho de mapeamento, conhecimento e interação com o elenco.

"Não podemos trocar treinador a cada dois jogos. O Celso Roth é nosso treinador e seguirá trabalhando para encontrar o equilíbrio do time", sentenciou Carvalho.

No cargo há 46 dias, Roth tem contrato até dezembro. Topou vínculo curto e com salário fora do seu histórico para voltar ao cenário nacional. Ele estava desempregado desde o segundo semestre de 2014, após passagem rápida e ruim pelo Vasco. Antes, o Inter foi comandado por Paulo Roberto Falcão, que ficou 27 dias na função. Argel Fucks foi quem iniciou a temporada e acabou demitido depois de seis partidas sem vitória.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos