Novo diretor promete mudanças em sorteios de arbitragem para o Brasileiro

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Pedro Ivo Almeida/UOL

    Coronel Marinho (3o da esq. para direita) é apresentado como novo diretor de arbitragem

    Coronel Marinho (3o da esq. para direita) é apresentado como novo diretor de arbitragem

Novo diretor da comissão de arbitragem da CBF, Marcos Cabral Marinho de Moura promete mudanças na fórmula de sorteio para definir os juízes na reta final do Campeonato Brasileiro.

Atento às críticas de clubes de várias divisões, o dirigente que substitui o questionado Sérgio Corrêa assegurou que a nova cúpula do setor está estudando uma maneira de evitar que árbitros que não sejam os melhores daquele momento acabem sendo escalados para jogos mais importantes.

"Isso vai ser reavaliado. Estamos estudando e discutindo. Não é fácil, existe uma série de fatores. Vamos atender os árbitros e também a competição, especialmente o momento dela agora, decisivo. Temos que ter muito cuidado com a escolha. Ainda estamos estudando. Mas vamos mudar, reavaliar. Teve toda essa 'grita' dos clubes e temos que entender. Temos que escutar", afirmou Marinho.

Atualmente, dez árbitros eram escolhidos sem critérios específicos e entravam no sorteio da rodada do Campeonato Brasileiro, possibilitando a presença de juízes de menor qualificação em jogos decisivos. O modelo era criticado pela grande maioria dos clubes.

"Não tem como acabar com sorteio. É uma questão legal do estatuto do torcedor. Mas podemos reavaliar com ele é feito", reforçou o Coronel Marinho.

Além do novo presidente da comissão de arbitragem, foram apresentados o vice, Alício Pena Júnior, e os diretores da pasta, Cláudio Vinicius Cerdeira e Ana Paula Oliveira.

O carioca Cerdeira, inclusive, foi enfático e endossou o coro pelas mudanças.

"O sorteio realmente era um complicador. Era uma gama enorme de árbitros. Fatalmente vamos mudar. Não adianta ficar como está. Vamos modificar. Objetivo é fazer com que a arbitragem não influencie os erros que determinam o vencedor. Não dá. Erros pequenos vão existir, mas não podemos permitir aqueles que ficam marcados. Vamos tentar minimizar isso. É o nosso foco aqui", comentou.

A ex-bandeirinha Ana Paula também conversou com a imprensa e antecipou algumas mudanças para os árbitros.

"Árbitro vai ser premiado. Além disso, tomamos uma decisão para preservá-lo. Uma vez escalado, ele poderá pedir dispensa em caso de algum problema fora do campo sem que perca sua taxa. Isso não existia. Resolveremos se teremos o quarto árbitro no comando, ou se faremos um novo sorteio, caso haja tempo. Mas ele terá sua taxa. Não precisa deixar de avisar. Queremos apenas os árbitros 100%", contou a representante feminina da nova direção.

"Às vezes o árbitro tem receio de pedir essa dispensa, medo de ser punido e vai para o jogo sem condições. Não queremos isso. Vamos preservar a arbitragem", explicou o Coronel Marinho.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos