A maldição de Gabigol e o que você precisa saber na rodada da Liga Europa

Do UOL, em São Paulo

A Liga Europa tem 24 partidas nesta quinta-feira (29). Muita coisa? Sim, mas é por isso que o UOL Esporte separou o que você precisa saber sobre a rodada.

AP/Luca Bruno
Gabigol lamenta lance perdido em sua estreia pela Inter de Milão
Existe uma maldição de Gabigol na Inter de Milão?

Gabigol foi a grande contratação da Inter de Milão para a temporada, mas, desde que o jogador foi apresentado, há uma semana, a equipe ainda não venceu. No domingo, ele fez sua estreia, entrando na fogueira no empate em 1 a 1 com o Bologna. Jogou 16 minutos, deu só um chute a gol.

Na Liga Europa, em que o atacante não está inscrito, é bom ressaltar, foi ainda pior. A Inter de Milão levou 3 a 1 do Sparta Praga, em uma partida muito ruim para os italianos. A equipe foi presa fácil para os tchecos, levando dois gols em jogadas de bola. Miranda, zagueiro titular da seleção brasileira de Tite, ficou no banco.

O técnico Franck de Boer deve estar sonhando com uma adaptação rápida do ex-jogador do Santos. Nem que seja para acabar com essa estatística incômoda.

REUTERS/Gleb Garanich
Bernard pode ressurgir no Shakhtar

O atacante que surgiu como craque no Atlético-MG ainda não emplacou na Europa. E o motivo pode ser técnico. Ou melhor. O técnico. Nas três primeiras temporadas pelo Shakhtar Donetsk, sob o comando do romeno Mircea Lucescu, Bernard sofreu para emplacar no time titular. Agora, com o novo comandante, o português Paulo Fonseca, as coisas começaram a mudar.

O jogo desta quinta, vitória por 2 a 0 sobre o Braga, foi exemplo disso. O meia foi titular pelo lado esquerdo e começou a jogada que deu origem ao segundo gol – ele sofreu a falta e fez a cobrança que acabou com arremate de Kovalenko após desvio do goleiro.

"Não disputei os 90 minutos de vários jogos aqui no clube em três anos, justamente por opção do antigo treinador, mas com Paulo Fonseca já joguei 90 minutos nos três jogos da temporada. Ele está me dando sequência e estou correspondendo, ajudando a equipa da melhor forma possível", falou o jogador ao diário A Bola.

AFP
Balotelli: cinco gols em quatro jogos

A França parece, realmente, ter encontrado o seu artilheiro após a saída de Ibrahimovic. E não estamos falando de Cavani, o uruguaio que assumiu a posição de centroavante do PSG com a saída do sueco e já balançou as redes 12 vezes na temporada.

Para repor Ibra, um jogador precisa, além de faro de gols, ter uma grande personalidade. E, nesse aspecto, o herdeiro é o italiano Mario Balotelli. Jogando pelo Nice, ele marcou cinco vezes em quatro jogos – a média de um gol a cada 60 minutos é melhor do que a do uruguaio, que já fez 14 partidas na temporada.

Com o bom momento do italiano, a sua equipe é líder do Campeonato Francês, com um ponto a mais do que o vice-líder Monaco e quatro na frente do PSG, que ganhou os últimos quatro títulos franceses. Na Liga Europa, é verdade, o desempenho não foi tão bom: nesta partida, o Nice foi completamente dominado pelo Krasnodar, da Rússia, perdendo por 5 a 2.

Darren Staples/Reuters
Ibra vence duelo alternativo com Shevchenko

Nesta quinta-feira, o sueco Zlatan Ibrahimovic venceu o duelo com Shevchenko. Se você acompanhava o futebol europeu até a década passada, vai pensar em um confronto pela artilharia envolvendo dois dos melhores atacantes do continente. O que aconteceu no Olf Trafford, porém, foi bem diferente.

O Shevchenko em questão se chama Oleksiy e é goleiro do Zorya, time da Ucrânia – aos 25 anos, passa mais tempo emprestado do que no elenco do Dinamo de Kiev, clube com quem tem contrato desde 2013. Em campo, não teve muito trabalho: das 15 finalizações do Manchester United, só duas foram no gol. Ele pegou uma, deixou outra entrar: uma cabeçada de Ibra após um chute mascado de Rooney. Foi esse o lance que valeu a vitória sofrida do United na rodada.

E, para quem ficou curioso sobre o artilheiro veterano, que marcou época no Milan e no Chelsea e foi Bola de Ouro da revista France Football em 2004, ele tem hoje 40 anos e se aposentou em 2012. Justamente no Dinamo de Kiev, um ano antes da chegada do outro Shevchenko ao clube.

Brasil marca seis vezes na rodada. Um deles contra

Giuliano, convocado pelo técnico Tite para a seleção brasileira para os próximos compromissos das eliminatórias, foi um dos brasileiros que brilhou na rodada. Ele marcou uma vez (e deu mais uma assistência) na goleada por 5 a 0 do Zenith sobre o AZ Alkmar. Mas ficou longe do jogo em que os brasileiros mais se destacaram.

Na mesma partida em que Balotelli marcou o seu quinto gol em quatro jogos, os quase desconhecidos Ari e Joãozinho balançaram a rede duas vezes cada – o último de Ari, aliás, veio com passe de Joãozinho. E, se você pergunta é quem são os dois jogadores, aqui vai: Joãozinho tem 27 anos, foi revelado pela Portuguesa e já deu entrevistas sobre defender a Rússia, país onde mora desde 2011 (ele jogava na Bulgária de 2007), e Ari tem 30 anos, jogou no Fortaleza e roda pela Europa desde 2006, passando por três países - ele joga na Rússia desde 2010, primeiro no Spartak Moscou, agora no Krasnodar.

Outro brasileiro que marcou foi o volante Renato Neto, que fechou os 2 a 0 do Genk, da Bélgica, sobre o Konyaspor, da Turquia. Baiano, ele nunca jogou profissionalmente no Brasil. Aos 16 anos, foi para as categorias de base do Sporting, de Portugal, antes de rodar a Europa em centros menores (como a Bélgica) emprestado.

Para completar, o último gol brasileiro do dia foi contra. Lembra de Fabrício, zagueiro com passagem por Flamengo, Fluminense e Palmeiras? Ele hoje joga no Astra Giurgiu, da Romênia, o 14º clube de sua carreira. O gol contra foi em uma goleada, 4 a 0 para a Roma.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos