Sul-coreano do Tottenham pode parar por quase 2 anos para servir exército

Do UOL, em São Paulo

  • EFE/EPA/ARMANDO BABANI

O atacante sul-coreano Son Heung-min começou com tudo a temporada pelo Tottenham com cinco gols em cinco partidas, divididas entre Liga dos Campeões e Campeonato Inglês. No entanto, o atleta convive com a possibilidade de perder até dois anos da sua carreira caso não consiga dispensa do exército da Coreia do Sul.

Destaque do clube inglês, o jogador precisa cumprir um período militar de 21 meses até completar os 28 anos, a não ser que consiga uma dispensa do governo sul-coreano.

Casos deste tipo já ocorreram com outras estrelas do futebol do país, como Park Ji-sung e Lee Young-pyo, dupla que fez boa parte da carreira na Inglaterra. Ambos fizeram parte da campanha que ficou com a quarta posição na Copa de 2002 e garantiram a dispensa completa do exército.

Ki Sung-yueng, jogador do Swansea, fez parte do time que conquistou o bronze no futebol dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, e mesmo teve que perder um jogo da última temporada para servir o exército durante quatro semanas – foi premiado com um tempo reduzido de serviço militar.

Son, todavia, não repetiu o feito de Sung-yueng na Rio-2016 e pode ter dificuldades para convencer o exército da Coreia do Sul pela falta de sucesso na seleção do país. Caso não sirva os militares até completar os 28 anos, o atacante pode parar na cadeia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos