Presidente da Fifa quer Copa do Mundo com 48 países e 'pré-classificação'

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO / OLIVIER MORIN

    Infantino prevê disputa de 32 seleções por 16 vagas em fase de grupos de Mundiais

    Infantino prevê disputa de 32 seleções por 16 vagas em fase de grupos de Mundiais

A partir de 2026, a Copa do Mundo pode passar a ter 48 seleções, com direito a uma fase prévia de eliminação. A ideia foi divulgada nesta segunda-feira pelo próprio presidente da Fifa, Gianni Infantino, durante evento em Bogotá (Colômbia).

Se o plano de Infantino for adiante, a Copa do Mundo poderá ganhar um mata-mata de classificação à fase de grupos, a exemplo do que acontece na Copa Libertadores da América ou na Liga dos Campeões da Europa. No entanto, a ideia é que os confrontos (em jogo único) de definição sejam realizados já no país-sede do torneio.

"As 16 melhores (seleções) se classificariam diretamente para a fase de grupos do Mundial, e as outras 32 jogariam uma partida, um playoff, três dias antes do começo do Mundial para determinar os outros 16. Assim, teríamos 32 equipes (na fase de grupos)" , contou Infantino, de acordo com a agência de notícias EFE.

Antes de chegar ao número projetado por Infantino, a Fifa pode ampliar a Copa do Mundo a um estágio prévio de ampliação da Copa do Mundo. Desta forma, a edição de 2022, no Qatar, poderia ser disputada por 40 seleções.

"Nosso papel é desenvolver o futebol. Por isso, em minha campanha, eu propus um Mundial de 40 equipes, oito a mais que o Mundial atual", explicou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos