Tite deixa estrelas no banco e tem primeiro teste de autoridade na seleção

Dassler Marques

Do UOL, em Natal (RN)

  • Pedro Martins/MoWa Press

    Tite cumprimenta Willian e Philippe Coutinho em treinamento de terça-feira, em Natal

    Tite cumprimenta Willian e Philippe Coutinho em treinamento de terça-feira, em Natal

Lidar com as estrelas que integram a seleção brasileira é um dos desafios de Tite. Nesta segunda convocação para Brasil x Bolívia, o treinador será testado neste sentido. Dois dos jogadores mais importantes da geração, Willian e Thiago Silva, estarão no banco de reservas na partida de quinta-feira, na Arena das Dunas. 

Dono de uma gestão de grupo elogiada de modo geral na passagem pelo Corinthians, Tite parece estar atento à situação. No treinamento de terça-feira, Willian e Philippe Coutinho deixavam o gramado abraçados, quando o treinador deu um berro. Mas quem esperava uma bronca se enganou. Ele fez um elogio e avisou que todos os presentes deveriam ouvir e testemunhar a lealdade e amizade dos dois atletas que trocaram de titularidade nesta semana. 

Essa mudança, em especial, merece atenção. Willian foi um dos protagonistas da seleção nos últimos dois anos, ao lado de Neymar e Douglas Costa. Nos dois primeiros jogos de Tite, havia sido substituído. A equipe melhorou com a entrada de Philippe Coutinho, que agora ganha a posição para o jogo contra a Bolívia. 

Na avaliação da comissão técnica, que tem por princípio escalar um meia e um atacante de origem pelos lados, Coutinho se encaixa mais à função. O jogador do Liverpool-ING atua melhor como articulador, enquanto Willian é visto como um jogador de velocidade, mais próximo de Neymar em termos de características. A ideia de Tite, pelo lado direito, é ter alguém capaz de desempenhar papel semelhante ao de Jadson no Corinthians 2015. 

Já na defesa, Thiago Silva estreia sob o comando do novo treinador no banco de reservas. Apesar de ver o ex-capitão como um dos melhores do mundo na posição, Tite prefere dar sequência a Miranda e Marquinhos, que jogaram no mês passado. Thiago, naquele momento, não foi chamado por problemas físicos, e agora terá que lutar por um espaço em treinamentos e jogos do Paris Saint-Germain. Na era Dunga, ele fez críticas quando perdeu a braçadeira.

"Estou acostumado com Tite desde a época do Internacional", disse Giuliano. "Ele é um excelente profissional e tem por natureza e índole ser justo, honesto, fala olho no olho com a situação. É assim que ele decidiu e age como treinador. Assim faz todos terem a consciência de que são importantes. Essa briga leal por posição nos motiva", comentou o jogador, um dos sete entre os 24 chamados que já trabalharam com o atual comandante anteriormente. 

Deixar jogadores importantes no banco de reservas é algo que Tite já praticou no Corinthians, quando nomes como o então capitão Chicão, o volante Ralf, os meias Renato Augusto e Danilo e os atacantes Emerson Sheik e Alexandre Pato chegaram a ficar entre os suplentes.

Para tentar evitar reclamações, inclusive, o treinador estabeleceu uma prática de conversar frente a frente com quem entra e sai do time para explicar motivos e pedir paciência, trabalho e lealdade. Por vezes, como com Filipe Luís, até chegou a conceder um livro de presente para tentar motivar. Foi assim com Willian, agora reserva, e também Coutinho, o novo titular da seleção. 

Time provável para quinta-feira

O Brasil deve enfrentar a Bolívia com: Alisson; Dani Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Fernandinho; Coutinho, Giuliano, Renato Augusto e Neymar; Gabriel Jesus. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos