Tite faz elogios a Willian após colocá-lo na reserva: "personalidade forte"

Dassler Marques

Do UOL, em Natal (RN)

  • Pedro Martins/MoWa Press

    Tite fala em entrevista coletiva na véspera de Brasil x Bolívia em Natal

    Tite fala em entrevista coletiva na véspera de Brasil x Bolívia em Natal

Na véspera de Brasil x Bolívia nesta quarta-feira, o treinador Tite concentrou comentários a respeito de Willian. Agora reserva da seleção brasileira, o jogador que outrora foi destaque ganhou elogios por sua postura diante de Philippe Coutinho, novo dono da vaga.    

"Aquela situação de ontem brotou quando conversamos entre a comissão", disse Tite. "Logo em seguida, o Cleber (auxiliar) fala que Willian treinou muito, e disse: 'olha os dois abraçados'. Eles têm que saber que têm que competir, elevar o nível técnico e dá para ser leal. Willian tem personalidade forte", comentou ainda o treinador, com explicação sobre a leitura dele.

"Personalidade forte e não de que vem aqui reclamar, que faz trejeito no vestiário que a gente consegue ler. Mas sim em sair da equipe, ser informado como disse aos dois particularmente, elaborar a dor interna de quem saiu da equipe e ir lá e trabalhar forte. Isso é personalidade forte", complementou.

Tite fez referência a dois treinadores que teve e que, segundo ele, moldaram sua postura como profissional do futebol para ser transparente. "Tento ser assim, mas humanamente não sou sempre assim, porque vai me fugir em algum momento. Carlos Alberto Silva e Pedro Pires Toledo me ensinaram a agir assim. Na bola, quando eu comecei, eu achava que tinha que ser malandro. A bola é igual a todas as atividades. Aprendi com eles que dá pra falar pela frente, se posicionar", declarou. 

A entrada de Coutinho, na sequência, foi justificada. "As duas entradas (contra Colômbia e Equador), o momento dele, essa composição com os outros três jogadores para formar um quarteto de meio-campo, as linhas de passe que ele dá para eles, para flutuar...ele faz com maestria. Ele entrou não só porque o adversário estava cansado (nos jogos anteriores), mas pela mobilidade, pelo senso criativo. Ele tem que carregar essa responsabilidade, não à toa ele é chamado de mago na Inglaterra. Por essa capacidade de criação. O Willian é mais agudo, mais incisivo, como Neymar tem a possibilidade de infiltrar. Foi difícil pra mim também, confesso". 

Confira outras declarações de Tite na entrevista coletiva desta terça:

GIULIANO
Ele jogava como meia avançado no Inter e eu trouxe para uma função atrasada parecida, fazendo a articulação para depois chegar na frente. O Roger confidenciou para mim que ia trazer ele para dentro (no Grêmio, atuava aberto), mas os ajustes das peças não permitia e ele tinha que utilizar os melhores. Mas por dentro ele produz. Ou mais avançado, ou nessa função. Eu estava acompanhando ele no clube, porque não adianta pensar em colocar se ele não estiver produzindo.

FERNANDINHO
Todos perdemos com o 7 a 1. Eu perdi junto, com grau de responsabilidades e todo o respeito, a crônica brasileira também perdeu. A torcida, os dirigentes, os atletas, uns mais e outros menos. Individualizar fica ruim. O Fernandinho, com o desempenho que ele teve no City, o que aconteceu a ponto de ser elogiado com o Guardiola? O Edu (coordenador) falou com Vieira (do Manchester City), que disse que é o Fernandinho é jogador de futebol. 

THIAGO SILVA NO BANCO
O conceito que faço é das minhas abordagens com as pessoas e não do que se fala. Eu coloquei aos atletas que a escalação da equipe e a minha definição passam pelo passado, pelo momento no clube e por uma posição comigo na seleção. Marquinhos  e Miranda jogaram muito.

CHORO DE THIAGO SILVA
Sem conhecer o Thiago, recebi uma pergunta porque o Elias chorou quando foi campeão brasileiro (2015), porque resgatou 2010 que perdemos, e chorou. 'Interessante, que amor pelo clube, que paixão bonita de ter'. Mas o Thiago (quando chorou em 2014) se desequilibrou? Não dá pra entender. Temos que ter cuidado. Nós somos um pouco coração e mente, mas cada um bota pra fora o que mais quer. 

WENDELL CONVOCADO
Acompanho o futebol do Nordeste, é minha responsabilidade e não faço por ser simpático, de olhar as equipes de alto nível. Troquei informações com Geninho (treinador do ABC) no WhatsApp. O Wendel vem pela olímpica e as boas informações que o Micale teve, pelo acompanhamento dele há dois anos no Leverkusen e pelo enfrentamento que tive no Corinthians na passagem boa dele do Grêmio. A Alemanha, em termos táticos, proporciona muito. O técnico dele (Roger Schmidt) é de muita qualidade, 

RENATO, GIULIANO E COUTINHO JUNTOS
É só uma ideia que trago e procuro colocar de jogadores criativos com consistência, ter quatro meio-campistas e dois atacantes. Hoje o Brasil ataca com seis jogadores em qualquer sistema. As grandes equipes do país atacam com seis. O Conte (treinador do Chelsea) outro dia disse que 'na Europa somos agressivos, atacamos com cinco'. Para ele, cinco é agressivo, para nós é seis.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos