Ficam ou não ficam? As últimas notícias sobre o futuro dos técnicos de SP

Do UOL, em São Paulo

  • Fotomontagem/Agências

    Fábio Carille, Ricardo Gomes, Cuca e Dorival Jr.

    Fábio Carille, Ricardo Gomes, Cuca e Dorival Jr.

A virada do ano deve significar sequência no Palmeiras e mudanças no São Paulo. Enquanto o clube alviverde continua firme na caminhada rumo ao título do Campeonato Brasileiro, o vizinho de CT está em situação delicada, lutando para abrir distância da zona de rebaixamento. Dado o panorama, Cuca e Ricardo Gomes devem ter destinos distintos em 2017.

O treinador palmeirense é valorizado pela gestão atual do clube, encabeçada pelo presidente Paulo Nobre. O dirigente deixará o cargo na próxima eleição, mas seu vice Maurício Galiotte será eleito por se tratar do único candidato à sucessão. O Blog do Praetzel apurou que uma reunião entre os cartolas e Cuca deixou encaminhada a renovação por dois anos do técnico.

Além de Cuca, quem também deve ter continuidade no clube é o diretor Alexandre Mattos. As negociações só serão concluídas, no entanto, após o término de todas as competições, ao final do ano.

No São Paulo, por outro lado, Ricardo Gomes vive uma situação delicada. Apesar de não ter participado do planejamento do clube e ter deixado o Botafogo no meio do Brasileiro, o treinador não tem seu trabalho valorizado nos bastidores.

Blog do Perrone informa o técnico é elogiado pelos cartolas por seu caráter e simpatia, porém seu desempenho não correspondeu com o esperado, pois não recuperou jogadores de pouco comprometimento e até agora não fez o time atingir seu potencial. 

É dito oficialmente que Ricardo Gomes terá seu trabalho avaliado ao final do Campeonato Brasileiro, única competição que o clube ainda disputa.

Entre os outros grandes do Estado de São Paulo, o Santos é quem tem o planejamento para 2017 mais claro. Com boa campanha no Campeonato Brasileiro e classificação próxima para a Libertadores, principalmente após a criação do G-6, o time do litoral deve manter Dorival Júnior, mas isso não quer dizer que o ambiente esteja tranquilo.

Conselheiros santistas que não digeriram a não classificação para a Libertadores deste ano pressionam o presidente Modesto Roma com relação ao técnico. O cartola teve que negar o recebimento de uma carta de outras figuras políticas do clube pedindo a cabeça de Dorival e a contratação de Vanderlei Luxemburgo, disponível no mercado desde que foi demitido do futebol chinês. O próprio Dorival falou sobre o tema.

Modesto Roma afirmou, todavia, que "técnico foi feito para ser xingado" e que se irritou com decisões de Dorival no passado. No entanto, o dirigente avalia como positivo o trabalho do treinador, o blindou de críticas e afastou boatos de sua saída.

No Corinthians a história é outra. O time despencou no Campeonato Brasileiro desde a saída de Cristóvão Borges, o que dificulta uma possível permanência do interino Fábio Carille no cargo.

O clube alvinegro trabalha com outros três nomes para assumir o comando da equipe: Roger Machado, ex-Grêmio, Eduardo Baptista, técnico da Ponte Preta, e Vanderlei Luxemburgo.

O presidente Roberto Andrade é pressionado para tomar uma decisão rápida, a fim de iniciar o planejamento para 2017, contexto que privilegia os desempregados Roger e Luxemburgo – este o nome com maior rejeição interna. Por estar comprometido com a Ponte até o final de 2016, é mais difícil negociar com Eduardo Baptista.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos