Ex-jogador de Avaí e Náutico registra BO após ser chamado de 'macaco'

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

  • André Nery/Site oficial do Náutico

    Lateral-esquerdo Jeff Silva passou pelo Náutico entre 2010 e 2011

    Lateral-esquerdo Jeff Silva passou pelo Náutico entre 2010 e 2011

O futebol brasileiro registrou no fim de semana retrasado mais um caso de injúria racial. A vítima da vez foi Jefferson Silva, ex-jogador de Avaí e Náutico e que hoje defende o Hercílio Luz, time que disputa a segunda divisão do Campeonato Catarinense.

O Hercílio Luz enfrentava o Tubarão no dia 25 de setembro, um domingo. O time de Jeff Silva perdia de 2 a 0 quando um torcedor presenta na arquibancada o chamou de "macaco". O lateral-esquerdo olhou em direção ao torcedor, que lhe repetiu a mesma palavra.

Divulgação/Facebook

"Eu estava no jogo e a torcida do clube adversário me xingando. Até aí tudo bem, faz parte do jogo; por diversas vezes sofri preconceito, principalmente no leste europeu, e fiquei calado, preferi deixar para lá. Agora, no meu país, uma pessoa, se é que dá para chamar assim, me chamou de macaco e repetiu macaco", contou Jeff Silva em seu Facebook.

"Sem acreditar, perguntei para ele: 'eu sou macaco?', e discuti com ele. Nisso o segurança do clube adversário o tirou do local. Um jogador do meu time foi até o policial que estava presente no momento e falou do ocorrido. A resposta dele foi: 'Isso é normal do jogo'. Agora eu pergunto: Em pleno século XXI é normal uma pessoa ser chamada de macaco?", disse o jogador de 30 anos.

Junto com as palavras, Jeff Silva postou no Facebook o Boletim de Ocorrência que registrou depois da partida, no centro de Tubarão (SC).

"O que vejo são pessoas maldosas no meio de torcedores apaixonados, que infelizmente sujam a imagem da torcida e mais que isso, ofendem pessoas que estão trabalhando e correndo atrás de seus objetivos. Não estou fazendo média e muito menos buscando ibope, só peço a essas pessoas de bem que viram o ocorrido que denunciem esse indivíduo. Injúria racial é crime. Isso não pode ficar impune", completou.

Ao UOL Esporte, Jeff Silva disse que o torcedor foi identificado por torcedores do Tubarão e seu já foi passado para a polícia.

Quando comprovado, o crime de injúria racial pode gerar uma pena que vai de um a três anos de reclusão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos