Para controlar gastos, Grêmio forma a própria comissão técnica

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • RODRIGO RODRIGUES/GREMIO FBPA

    Comissão técnica de Renato Gaúcho tem apenas um componente de fora do clube

    Comissão técnica de Renato Gaúcho tem apenas um componente de fora do clube

O Grêmio sob comando de Romildo Bolzan Júnior, nos dois últimos anos, definiu uma gestão de poucos gastos e aposta nas categorias de base. Mas isso vai além do grupo de jogadores. O Tricolor mira também formar profissionais de comissão técnica e deixar de gastar com grupos carregados por treinadores. 

As antigas comissões, cujos nomes eram todos indicados pelo técnico, não serão mais contratadas no Tricolor. Basta perceber que Roger Machado só teve consigo o auxiliar Rodrigo Rybas. Renato Gaúcho só carregou Alexandre Mendes para o clube. O último a ter mais de um indicado foi Luiz Felipe Scolari, que usou sua força no clube para conseguir uma exceção nas chegadas de Flavio Murtosa e Ivo Wortmann como auxiliares e ainda do preparador físico Darlan Schneider. 
 
Mas não haverá repetição. O comando do clube acredita na formação de profissionais com experiência na base. E isso já está sendo colocado em prática no elenco de cima. 
 
Um dos auxiliares de Renato Gaúcho é James Freitas, que trabalhava com o time de transição anteriormente. O preparador físico da comissão permanente é Rogério Dias, que também foi formado no clube. E o mesmo vale para o preparador de goleiro Rogério Godói, oriundo da base. 
 
Fora de campo, o trabalho do CDD (Centro Digital de Dados) do clube também é gerido por profissionais formados no Grêmio e que começaram atividades nas categorias inferiores do clube.
 
Sob a ótica gremista, além de evitar rescisões a cada troca de técnico, o custo com o crescimento profissional é menor e também dá ao profissional um 'plano de carreira interno' na agremiação. 
 
"As comissões técnicas permanentes, além de valorizar os colaboradores e incentivar o processo de fidelização dos melhores profissionais, mostra-se fundamental na preservação da cultura futebolística. Além disso, o projeto de transição é imprescindível como ferramenta de adaptação de mudanças no comando técnico e manutenção de conceitos do clube", disse um dos incentivadores deste processo dentro do clube, o ex-diretor executivo de futebol gremista, Rui Costa. 
 
Considerando Renato Gaúcho e Valdir Espinosa também como 'formados no Grêmio', o único que não tem relação direta com o clube na atual comissão técnica é Alexandre Mendes. 
 
O Grêmio volta a campo na próxima quinta-feira para enfrentar o Atlético-PR. O jogo será disputado na Arena e é confronto direto por vaga no G-6. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos