Levantar pneu, imitar o Super-Homem... Os treinos vão muito além da bola

Do UOL, em São Paulo

  • Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

    Ceará, da equipe de base do Santos, levanta pneu de caminhão em treino

    Ceará, da equipe de base do Santos, levanta pneu de caminhão em treino

Corra em volta do campo. Drible uns cones. Vá à linha de fundo e cruze.

Colete ou sem colete? Tanto faz. Passe longo. Agora passe curto. Dois toques.

Cobre faltas. Umas 20. De um lado. Agora do outro. Depois, pênaltis.

Você acha que os treinos dos times de futebol são todos iguais? Não são. É claro que há muitos exercícios parecidos (em especial a olhos leigos), mas também há muita coisa curiosa, que inova onde o torcedor menos imagina.

Você consegue imaginar time que treina levantando pneu? Amarrando o corpo? Com bola pesada? Tem tudo isso, e o UOL Esporte mostra algumas destas curiosidades.

"Homem mais forte do mundo?"

Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC
Felipe dos Anjos, da base do Santos, levanta pneu de caminhão em treino

Pode até lembrar aquelas provas da competição do "homem mais forte do mundo", mas levantar e virar pneu serve para trabalhar força. O jogador faz agachamentos e trabalha braços e quadril.

Os treinamentos diferentes no Santos são chamados de "treinamento funcional" (função da modalidade). Ele ajuda a trabalhar a musculatura mais profunda do corpo, pois os aparelhos de musculação trabalham o músculo superficial. 

Ivan Storti/Santos FC
RIcardo Oliveira treina com dois (!) elásticos

Amarradão

O Santos ainda usa o método em um treino chamado de "trabalho preventivo", que foi iniciado no clube entre 1999 e 2000. A ideia não é restringir o movimento, mas exigir dos músculos a partir de certa "amplitude" do movimento.

Os atletas, como os mais veteranos Ricardo Oliveira e Renato, os mais dedicados, realizam o trabalho sempre uma ou duas horas antes do treino regular no dia a dia.

Na foto ao lado, Ricardo Oliveira trabalha com o chamado mini band, elásticos que servem para fortalecer a musculatura.

Correndo com o peso

Cesar Greco/Fotoarena
O zagueiro Edu Dracena leva peso para "passear" em treino do Palmeiras

Sabe aquele jogador que parece correr "de calça jeans", "com o freio de mão puxado"? Bem, a ideia aqui é evitar que isso aconteça. Como? Forçando o jogador a manter a explosão física, mas enfrentando uma resistência maior.

Com o peso preso ao corpo, o jogador precisa fazer mais força para repetir os movimentos. A dinâmica é semelhante aos trabalhos feitos com pesos presos aos tornozelos (bastante comuns no vôlei) ou com pequenos paraquedas (usados em treinos de velocidade no futebol, por exemplo).

Superman no TRX

Claudio Villa/Getty Images
O meio-campista italiano Daniele Rugani trabalha a região do abdômen

É um pássaro? É um avião? É um jogador de futebol treinando para disputar a ginástica nos próximos Jogos Olímpicos? Não, é o Superman no TRX.

Sim, o nome do exercício é esse mesmo: Superman no TRX. Ele ajuda a trabalhar a região do abdômen, o que ajuda a manter equilíbrio e também melhorar a potência dos chutes, entre outros benefícios.

(Além de, é claro, preparar o jogador que queira se tornar um ginasta especialista na prova das argolas...)

Bolas (BEM) mais pesadas

Thomas Bohlen/Reuters
Jogadores treinam com a medicine ball

O Vasco faz uso da chamada medicine ball. São bolas feitas de borracha, muito mais pesadas que as bolas de futebol. Seu peso pode variar para um ou até mesmo mais de dez quilos. Uma bola de futebol pesa entre 410 e 450 gramas.

O clube carioca oferece um treino específico para o arremesso de lateral de Madson, uma das armas secretas do clube. O jogador treina com essa bola mais pesada para que quando pegue a bola de jogo, o lançamento tenha um alcance mais longo e possa virar um cruzamento.

Se você quer seu time utilizando o 'Cucabol' em campo, é bom pedir treinos com a medicine ball.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos