Willian luta ao lado da mãe e volta à seleção para provar tudo outra vez

Dassler Marques

Do UOL, em Natal (RN)

  • Arquivo Pessoal

    Dona Zezé, mãe de Willian, luta contra câncer há mais de dois anos

    Dona Zezé, mãe de Willian, luta contra câncer há mais de dois anos

A chance como titular para Willian em Venezuela x Brasil na terça-feira (11) é dessas ocasiões em que o futebol prova duas de suas máximas. A primeira é de que sempre haverá um novo desafio, e a segunda é que as oportunidades para uma volta por cima podem surgir rapidamente.

Barrado para a entrada de Coutinho na quinta passada, ele reaparece contra a Venezuela na vaga do suspenso Neymar. Os dias não têm sido fáceis para o meia de 28 anos, que a despeito de ter Copa do Mundo-2014 no currículo e de ter sido o jogador mais escalado por Dunga nos últimos dois anos, enfrenta também uma concorrência feroz na seleção.

Mas, na verdade, esse é um desafio pequeno perto do que ele e toda a família Silva enfrentam ao lado de dona Zezé, mãe de Willian. Em pouco mais de dois anos, ela realizou cinco cirurgias na cabeça e fez sessões de quimioterapia para tentar vencer um tumor.

Willian, que desabafou recentemente pela dificuldade de ficar longe da mãe por conta de seu trabalho, teve uma notícia bem pior que a perda da vaga para Coutinho. A saúde de dona Zezé piorou na última semana, o que fez o jogador regressar às redes sociais com uma palavra de fé. "Estou aqui orando e intercedendo pela sua vida", escreveu de Natal, onde estava com a seleção. 

Pedro Martins/MoWa Press
Tite cumprimenta Willian e Coutinho por concorrência leal na seleção

Apesar do momento pessoal delicado, Willian reagiu bem à perda da posição na equipe e ganhou pontos com Tite. O abraço com Coutinho, treinamentos em alta intensidade e de elevado nível técnico foram demonstrações de que as coisas foram bem absorvidas pelo jogador protagonista da era Dunga. Quem trabalha com ele refuta a ideia de que uma queda na seleção possa ter relação com o problema, já que a luta de dona Zezé já coincidiu com o ápice dele na última temporada europeia. 

Em 2015/2016, Willian foi eleito pelos próprios colegas como o grande nome do clube, bateu recorde com gols de falta (seis) e integrou a seleção da Liga dos Campeões na fase de grupos. Por pouco, ele não foi parar também na China, mas ganhou um novo contrato até 2020 para permanecer. Mesmo assim, seu momento não deixa de ser de reafirmar todo o potencial mais uma vez. A equipe agora é dirigida por um novo treinador, o italiano Antonio Conte, e começou a temporada inglesa de forma irregular.  

Com relação ao Brasil, o destino reservou justamente a Venezuela, contra a qual Willian teve seu melhor desempenho com dois gols nas Eliminatórias. Chance de brilhar de novo, para o novo chefe Tite, para o suspenso Neymar, para o Brasil e, principalmente, para a guerreira mãe Zezé.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos