Brasil se fortalece contra rivais frágeis e projeta vaga com mais 7 pontos

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

A sequência de quatro jogos com vitórias transformou a realidade do Brasil nas Eliminatórias da Copa do Mundo. Da sexta posição com Dunga à liderança com Tite, a seleção agora se vê em situação confortável, do ponto de vista matemático, em relação à vaga no Mundial.

Com o triunfo por 2 a 0 sobre a Venezuela, os brasileiros alcançaram 21 pontos e, de acordo com cálculos da comissão técnica revelados por Tite, precisam de um total 28 pontos para garantir vaga - aproveitamento que foi suficiente para terminar entre os quatro primeiros nas últimas duas eliminatórias com o atual formato.

Nas ocasiões em que o torneio teve 10 seleções, as seguintes equipes terminaram na quarta posição, portanto a última que leva diretamente ao Mundial: Paraguai-2002 (55% de aproveitamento, com 30 pontos), Paraguai-2006 (51% com 28 pontos) e Argentina-2010 (51% com 28 pontos). Em 1998 e em 2014, com nove seleções, o quarto colocado acabou com 52% dos pontos conquistados. 

O que a seleção ganhou contra Bolívia e Venezuela

Diante da Bolívia, o Brasil venceu por 5 a 0 em Natal na última quinta com autoridade. Os quatro gols marcados no primeiro tempo não ocorriam na seleção desde 2005. Além de ratificar o modelo de jogo implantado, Tite encontrou alternativas como Filipe Luís, Fernandinho e Giuliano. Também deu confiança a Philippe Coutinho, seu novo titular, e observou um jogo impecável de Neymar. 

Já contra a Venezuela, a seleção não teve o mesmo brilho, mas logo abriu o placar com Gabriel Jesus e concluiu a vitória por 2 a 0 com gol de Willian, que dá sinais de que deverá ser importante, como titular ou reserva. O triunfo no mesmo estádio onde a Argentina empatou por 2 a 2, em setembro, também reafirmou Gabriel Jesus como camisa 9 confiável, agora com quatro gols em quatro jogos. Tite ainda enxergou mais um detalhe: ganhar sem Neymar é importante para a formação do aspecto coletivo. 

A sequência deve ser com time completo e contra adversários de respeito

Os três jogos seguintes, e que permitiriam ao Brasil assegurar a vaga ao Mundial de forma antecipada, inspiram mais dificuldades que a equipe de Tite encontrou neste mês de outubro. A sequência aponta para a Argentina em Belo Horizonte (10-11), Peru em Lima (16-11) e, no reinício de 2017, Uruguai em Montevidéu (23-3). 

No planejamento de elenco, a seleção cumpriu seu objetivo de olho nos compromissos de novembro. Isso, é claro, se não tiver jogadores lesionados. Neymar, que cumpriu suspensão contra a Venezuela, está livre para retornar à equipe. Pendurados como Dani Alves, Miranda e Filipe Luís passaram em branco. Além disso, há a expectativa de que Marcelo e Casemiro, lesionados, estejam aptos no Real Madrid-ESP para jogar em Belo Horizonte e Lima, e de que Douglas Costa, fora de duas listas por lesões, possa ser chamado dessa vez. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos