Justiça nega habeas corpus e proíbe invasores do CT de irem a jogos do SP

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

  • Vinicius Laureano/arquivo pessoal

    Protesto de torcedores no CT do São Paulo em agosto terminou em invasão e violência

    Protesto de torcedores no CT do São Paulo em agosto terminou em invasão e violência

Doze torcedores que participaram da invasão ao CT do São Paulo no último dia 27 de agosto tiveram um habeas corpus negado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. A ação pedia que os invasores fossem autorizados a frequentar jogos e eventos ligados ao clube, mas a decisão negou todos os pedidos e manteve proibições.

Os invasores argumentaram que a proibição violaria seu direito de ir e vir e sua liberdade, e pediam que pudessem frequentar livremente os estádios enquanto não houvesse um julgamento definitivo.

O desembargador Xavier de Souza, entretanto, considerou a medida proporcional aos fatos e rejeitou o pedido, mantendo a proibição.

Foram autores do pedido Genildo da Silva, Alan Aquino de Souza, Gerson de Azevedo,             Bruno Silva Arcanjo, Lucas Carvalho da Silva e Cristovam de Almeida Americo Alves. Também são autores da ação Henrique Gomes, presidente da Torcida Independente, e Ricardo Alves, vice-presidente.

Invasão teve agressões e roubo

A invasão do dia 27 teve a entrada de mais de 1000 torcedores no CT, segundo a PM. Os jogadores Michel Bastos, Carlinhos e Wesley foram agredidos, e itens como bolas e uniformes roubados do local.

O UOL Esporte teve acesso à íntegra do inquérito policial do dia, que aponta problemas no esquema de segurança e a atuação organizada dos torcedores na intimidação dos atletas. O caso ainda está em fase inicial na Justiça.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos