"Quero e posso mais", diz corintiano após brilhar contra últimos colocados

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Corinthians

Guilherme voltou à equipe titular do Corinthians com destaque nos últimos dois jogos. Principal nome contra América-MG (2 a 0 no domingo passado) e Santa Cruz (4 a 2 na quinta-feira), ele projetou os próximos compromissos com otimismo. O grupo corintiano encara o Cruzeiro na Copa do Brasil, quarta, e na sequência visita o Flamengo, domingo, no Maracanã. 

"Voltei depois de um tempo fora, é sempre difícil para o atleta. Mas também serviu para analisar de fora algumas coisas, rever circunstâncias. Tinha como meta não só esses dois jogos, é muito mais do que isso. Ainda estou abaixo, fiquei um mês fora. Sinto isso. Mas penso na evolução sempre. Foram dois bons jogos, mas quero mais e posso mais", analisou Guilherme nesta segunda-feira. 

A temporada do jogador no Corinthians é marcada por mudanças de posição. Primeiro, ele assumiu a função que era de Renato Augusto, na armação, mas teve dificuldades de adaptação e oscilou. Depois, ainda na era Tite, o esquema foi alterado e Guilherme viveu sua melhor sequência, como meia ofensivo. Apagado durante a passagem de Cristóvão Borges, ele voltou de lesão para ser centroavante. 
 
"Tive mais ou menos seis ou sete jogos com um reajuste, jogando como meia, aproximando mais do centroavante. Aí meu futebol cresceu, mas por algumas circunstâncias saí do time e agora retorno, numa posição que eu nem esperava. Mas eu estou me sentindo bem, querendo muito ajudar", disse. 

"Ainda não tive um papo individual com o Oswaldo sobre posicionamento. Essa função (centroavante) estava um pouco encalhada, fazia tempo que eu não exercia. Requer uma nova adaptação. Para ser sincero, estou encarando isso muito bem. Capacidade para concluir bem. Nesse momento, não questiono jogar assim ou jogar de outra forma. Importante é seguir com foco até o fim do ano", acrescentou. 

Por fim, Guilherme analisou o próprio momento após contusão. "Eu não me sinto abaixo, nem com uma dinâmica abaixo dos companheiros, mas eu sei que posso estar melhor, como estava antes da lesão. É um processo natural, que só esses jogos vão me dando, junto com alimentação boa, bom descanso, mas me preparei um mês para aguentar essa pancada de jogos. O sentimento físico é mais meu do que dentro de campo. Cobrança minha, nada mais", comentou. 

Diante do Santa Cruz, Guilherme anotou dois gols e foi o grande nome do jogo que marcou o reencontro do Corinthians com as vitórias. Já domingo, na estreia de Oswaldo de Oliveira, ele serviu para os gols marcados por Romero e Rodriguinho. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos