Por que o Internacional não afastou a dupla que brigou durante treino

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

O Internacional escolheu o caminho menos traumático para lidar com a briga entre William e Anderson. Entre o dia do episódio até a segunda-feira, o clube deliberou qual seria a melhor punição e preferiu não afastar nenhum deles. A decisão foi aplicar punições diferentes, mas manter ambos no elenco. Mas qual o motivo? A equação envolve dinheiro, comando e o time.

Afastar Anderson, como pediu grande parte da torcida do Inter nas redes sociais, exigiria também o afastamento de William. Mesmo que a ação de um tenha sido maior que a do outro, o entendimento é que aplicar sanções muito distintas seria ruim.

E se levasse ao cabo o afastamento duplo, o maior prejudicado seria o time.

William é titular absoluto da lateral direita e aparece entre os 10 melhores no fundamento assistências do campeonato. É apontado pelo site WhoScored como um dos mais destacados jogadores de todo o Brasileirão.

Sem topar o afastamento duplo, o Internacional poderia ter articulado a demissão por justa causa de Anderson. O tema gerou até abaixo-assinado na internet. Mas não foi adiante dentro do Beira-Rio. Com salário de cerca de R$ 500 mil, o ex-jogador de Grêmio, Porto e Manchester United é o mais bem remunerado do clube na atualidade. Tem vencimentos pagos integralmente na carteira de trabalho. E este cenário pesou.

"Vou chamar atenção especificamente ao movimento que existe na torcida colorada em relação ao Anderson. Cheguei aqui há 60 dias e não conhecia o ambiente. Mas a torcida pode ter certeza, estamos fazendo o melhor. Essa decisão leva em conta o interesse do Internacional. Ele faz parte do grupo, internamente vem dando respostas positivas e peço que a torcida compreenda a nossa decisão", disse Fernando Carvalho, vice de futebol, e responsável por comunicar as punições. "Ele tem contrato longo, é preciso considerar todo o contexto, o interesse do clube. E por isso a punição não foi a exclusão como muita gente esperava, muita gente queria", completou.

William e Anderson não foram reunidos para uma retomada na ligação. A diretoria preferiu conversar separadamente com eles, quando do comunicado das punições. O lateral levou advertência e o meia recebeu multa de 15% do salário. O camisa dois volta a treinar nesta terça-feira, após procedimento odontológico em decorrência do soco que recebeu. O camisa oito já voltou às atividades. E o caminho menos traumático está consumado.

Quer receber notícias do Internacional de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos