Corinthians vive frustrações em série e só pode salvar ano com Brasileirão

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Thomas Santos/AGIF

    Após eliminação, Oswaldo de Oliveira tentará reerguer equipe rapidamente

    Após eliminação, Oswaldo de Oliveira tentará reerguer equipe rapidamente

Os sete jogos que restam pelo Campeonato Brasileiro são a última esperança do Corinthians para evitar uma temporada marcada por frustrações dentro e fora de campo. Esse cenário foi reforçado na noite de quarta-feira, no Mineirão, com a vitória do Cruzeiro por 4 a 2, o que deixou os corintianos pelo caminho antes das semifinais pelo quarto ano seguido da Copa do Brasil. 

Agora, resta um caminho para o Corinthians jogar a Libertadores em 2017 e assegurar uma temporada com melhores receitas em meio a um momento financeiro difícil. Atualmente, a equipe é sétima colocada do Brasileirão, e precisará subir de produção e de posição para terminar entre os seis melhores que se qualificam para a competição sul-americana. 

O desempenho corintiano, porém, não tem inspirado muita confiança. Em 12 jogos no returno do Brasileirão, só venceu adversários da parte baixa da tabela (Sport, Vitória, América-MG e Santa Cruz) e dentro de Itaquera. O aproveitamento no período é de 38% dos pontos conquistados, equivalente ao das equipes que lutam contra o rebaixamento. Ainda há outra dificuldade: dos sete jogos que restam, três são como mandante e quatro são como visitante. 

Oswaldo de Oliveira, que ainda completará uma semana de trabalho, detectou que falta agressividade ao Corinthians. No Mineirão, a equipe dirigida por ele teve mais posse de bola que o mandante Cruzeiro e o mesmo número de finalizações, mas os donos da casa conseguiram ser mais perigosos nas conclusões a gol. A defesa, ponto forte em outros momentos, já não tem sido tão segura. Foi a primeira vez no ano que os corintianos sofreram quatro gols em uma partida.

Os desafios são muitos para Oswaldo e não se resumem às quatro linhas, mas em evitar que a turbulência política interfira em seu trabalho - o estopim da crise foi justamente a contratação do treinador. Isolado politicamente e em rota de colisão com o ex-presidente Andrés Sanchez, o mandatário Roberto de Andrade também viu a estrutura em torno do time se diluir. O único elo entre a comissão técnica e ele é o gerente de futebol Alessandro, que se desdobra na função. 

Campeão brasileiro com louros há menos de um ano, o Corinthians perdeu 13 jogadores negociados, alguns dos protagonistas da comissão técnica e experimentou eliminações em casa no Campeonato Paulista e na Copa Libertadores. Nem diante dos maiores rivais conseguiu desempenho satisfatório: são oito clássicos no ano, sendo cinco derrotas, um empate e só duas vitórias.

Não há muito tempo para reagir

O Corinthians volta a São Paulo na manhã desta quinta-feira e Oswaldo tem pouco tempo à disposição para ajustar a equipe e recuperar o ânimo dos atletas. São só dois treinamentos, na sexta e no sábado, antes de viajar ao Rio de Janeiro para enfrentar o vice-líder Flamengo na reabertura do Maracanã. O zagueiro Pedro Henrique, suspenso, deve dar lugar a Vílson na equipe. 

Confira os sete jogos restantes do Corinthians no Brasileirão:

23/10 - Flamengo (fora)
29/10 - Chapecoense (casa)
05/11 - São Paulo (fora)
16/11 - Figueirense (fora)
20/11 - Internacional (casa)
27/11 - Atlético-PR (casa)
04/12 - Cruzeiro (fora)

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos