Ricardo Rocha diz que Capita jogava palavras cruzadas no momento de infarto

Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

A morte do Capita: Craque por onde passou e autor de gol antológico

Companheiros de SporTV, ex-jogadores da seleção brasileira. Amigos e parceiros de negócios, Carlos Alberto Torres e Ricardo Rocha estavam juntos no domingo passado (23), na última participação do Capita como comentarista de TV. Ricardo lembrou do último encontro e relatou sua tristeza com a morte do colega nesta terça-feira (25).

"Ele estava em casa sentado quando ele passou mal, fazendo palavras cruzadas", contou o ex-zagueiro. "Ele passou mal e caiu. Foi infarto fulminante."

Quem confirmou a história foi Edmílson, caseiro que trabalhava diretamente com Carlos Alberto Torres. "A gente tinha tomado café junto, ele leu o jornal dele e estava fazendo palavras cruzadas, que ele gostava. Fui buscar alguns sacos de areia para uma obra e, quando voltei, me deu vontade de falar com ele. Encontrei ele sentado na mesa. Fiquei desesperado, chamei o segurança para ajudar colocar no carro. Aí levamos, junto com a empregada, para o hospital mais próximo", disse em entrevista à FOX Sports.

Análise: Carlos Alberto Torres foi gênio da lateral e grande líder

Edmílson ainda disse que sentiu um último suspiro do Capita. "Quando o levantei, ele deu um último suspiro. Entrei em contato com o sobrinho dele, que me ligou, passei a notícia e ele foi para o hospital. Agora é só saudade", completou.

Ricardo Rocha disse que o lateral tricampeão do mundo em 1970 tinha boa saúde. "Zero problema cardíaco, ele não tinha nada. Parou de fumar há mais de 30 anos. Quando a coisa tem que acontecer, acontece", lamentou.

O comentarista do SporTV contou que encontrava Carlos Alberto Torres de duas a três vezes por semana, que era seu amigo e falou da lembrança inesquecível que o ex-lateral deixará. "A gente sempre vai lembrar daquele beijo na taça do tri de 70. Quando se fala de capitão no Brasil se fala em Carlos Alberto Torres. A família está arrasada."

Colega de mesa no SporTV, Luiz Ademar acompanhou Carlos Alberto Torres em sua última participação como comentarista e recordou que lhe deu carona após o programa "Troca de Passes" do domingo (23).

"Eu estava com ele domingo, deixei ele em casa. Nós chegamos lá e ainda comemos um lanche juntos. Quando saímos, o pessoal ainda ia começar o 'Extraordinários'", narrou.

Ademar, que também é comentarista do canal, afirmou que o ex-jogador tinha saúde e os problemas que ele tinha eram comuns da idade: uma operação no joelho há cinco anos e uma dor na coluna. Bem humorado, Carlos Alberto falou do aniversário de Pelé, que também se recupera de dificuldades físicas.

"Negão (Pelé) está se recuperando. Nós somos todos novos, ele falava antigamente que se morria com 50, 60, agora dá para viver até uns 80, 90 anos", disse o ex-lateral na ocasião.

Carlos Alberto projetava as festas de fim de ano e queria comemorar o final da temporada com a equipe do canal de televisão. "Ele falou: 'você é o primeiro a saber, no final do ano vou fazer um churrasco aqui na Barra porque eu adoro todo mundo, a turma do SporTV. Vou convidar todos vocês'", conta Luiz Ademar.

Carlos Alberto Torres sofreu um infarto fulminante na manhã desta terça e morreu aos 72 anos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos