Ilsinho troca volta ao Brasil por green card e planeja vida longa nos EUA

Bruno Freitas

Do UOL, em São Paulo

Com idade competitiva e um currículo vencedor em campeonatos da Ucrânia, Ilsinho é um daqueles jogadores que têm opções diversas de mercado. Atualmente, o lateral revelado no Palmeiras poderia muito bem estar disputando a reta final do Campeonato Brasileiro, ou mesmo seguir em algum país da Europa. No entanto, o jogador que despontou no São Paulo fez a escolha por um projeto de vida além-futebol nos Estados Unidos.

A partir desta quarta-feira, Ilsinho disputa os playoffs da Major League Soccer (MLS), no que parece ser o começo de uma etapa de vida extensa em território americano – mesmo para quando a fase de jogador acabar. O lateral vem tirando o green card (cartão de residência permanente no país) para sua família e planeja continuar no país por muitos anos.

Quando seu contrato com o Shakhtar Donetsk terminou, na metade de 2015, Ilsinho retornou para o Brasil e decidiu o planejamento do resto de sua carreira. Com 30 anos na época, o lateral recebeu sondagens de equipes brasileiras, mas nenhuma "irrecusável", segundo o atleta. Então, o ex-são-paulino se convenceu a respeito da opção pelos Estados Unidos. Como a temporada da MLS estava no fim, topou ficar parado por oito meses, esperando para conseguir um contrato mais vantajoso no começo do torneio do ano seguinte. Assim, finalmente desembarcou em Filadélfia em fevereiro de 2016.

"Vim para cá sabendo que estou ainda em uma idade competitiva. Vim para dar uma moral para o time dentro da liga, ficar o máximo de tempo que eu puder, para que eu possa continuar aqui, um país bom, para que eu possa dar uma boa educação para os meus filhos", afirmou Ilsinho em entrevista ao UOL Esporte.

Reprodução

"Estou conseguindo meu green card, para eu morar aqui. Pretendo fazer cursos para dominar o idioma o mais rápido possível. Quem sabe, depois de encerrar a carreira, mais uns cinco ou seis anos, eu possa seguir trabalhando com futebol, pegar uma função na liga, ou no meu clube. Mas isso está muito longe ainda. Pretendo focar no futebol, para que eu possa fazer uma boa campanha aqui", acrescentou o jogador de 31 anos.

Classificado pela primeira vez aos playoffs desde 2011, o Philadelphia Union de Ilsinho enfrenta o Toronto FC nesta quarta-feira, no Canadá. O confronto em jogo único vale sequência na disputa da Conferência Leste da MSL.

O ex-jogador do Shakhtar relata que seu primeiro ano nos Estados Unidos tem sido consumido pela burocracia de tirar a liberação de residência para a família. No entanto, Ilsinho diz que já teve oportunidade de fazer programas tipicamente americanos, como frequentar jogos de beisebol e futebol americano. Na Filadélfia, também visitou a famosa escadaria presente nos filmes do boxeador Rocky Balboa, personagem de Sylvester Stallone.

Jogador relata debates Hillary x Trump no vestiário

Em seu primeiro ano nos Estados Unidos, Ilsinho tem tido oportunidade de imersão na cultura americana, principalmente em um ano de eleição presidencial. Segundo o lateral, o calor político dos últimos meses tem tomado conta inclusive dos vestiários do Philadelphia Union.  

Ilsinho diz que prefere mais observar a discussão entre os entusiastas de Hillary Clinton e Donald Trump. No entanto, afirma que os eleitores da candidata democrata são maioria entre os jogadores do Philadelphia Union.

"Aqui os debates não acontecem só na TV, o povo tenta participar bastante. Os próprios jogadores do clube têm os debates lá do vestiário, após os debates da televisão. Cada um tem a sua opinião, seu candidato preferido. Eles levam bem a sério a política", relata o brasileiro.

AP Photo/Michael Perez

"Skilsinho" é único da MLS com 5 estrelas no Fifa 17

O mundo dos games ajudou Ilsinho a progredir em seu primeiro ano na liga americana, especificamente para endossar sua reputação como jogador técnico. O torcedor americano que não conhecia o futebol do brasileiro teve a noção de seu potencial graças ao Fifa 17. O lateral foi o único jogador da Major League Soccer a ganhar cinco estrelas no item habilidades, se juntado a nomes como  Cristiano Ronaldo, Neymar e Pogba.

Somado às cinco estrelas apareceram os dribles da vida real. Depois de estrear nos Estados Unidos e mostrar parte de seu repertório, o brasileiro também ganhou o apelido de "Skilsinho", em referência ao termo "skill" (habilidade, em inglês). Na temporada regular, ainda marcou dois gols.

"As pessoas pensam que nos Estados Unidos é fácil, é fácil. Realmente o nível técnico não é muito bom, mas a preparação física e a vontade que eles têm acabam deixando o jogo muito disputado. Eles são muito preparados fisicamente, em questão de força, o que acaba deixando o jogo muito corrido e disputado", descreve o brasileiro.

Quer receber notícias do seu time de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos