Invasores de CT pagam prejuízo, mas rebatem conta mostrada por São Paulo

Pedro Lopes

Do UOL, em São Paulo

Torcida do São Paulo invade treino e agride jogadores

Após decisão inédita da Justiça que congelou suas contas bancárias, os torcedores envolvidos na invasão do CT do São Paulo no último dia 27 de agosto depositaram em juízo R$ 7,3 mil reais, valor apresentado pelo clube como prejuízo causado no dia, que teve agressões, quebra do portão e roubo de material esportivo.

A conta apresentada pelo São Paulo inclui os danos causados e as bolas, uniformes e pelo menos um cooler de isotônico subtraídos do local durante a permanência dos torcedores. Com o depósito, os invasores devem ter suas contas liberadas.

Apesar do depósito, os invasores pedem que apenas pouco mais de R$ 2 mil seja liberado para o clube – o argumento é de que a direção são-paulina não apresentou provas do prejuízo de mais de R$ 7 mil, apenas dos R$ 2 mil. Através de seus advogados, pedem que sejam apresentadas provas ou notas fiscais.

Dentre os invasores que depositaram a quantia estão diretores das torcidas organizadas, incluindo Henrique Gomes e Ricardo Alves, presidente e vice da Torcida Independente, principal organizada do São Paulo.

Invasão teve agressões

A invasão ocorreu no dia 26 de agosto, quando a equipe são-paulina passava por péssimo momento e vinha de derrota para o Juventude em pleno Morumbi, na Copa do Brasil. O portão de entrada do CT foi forçado e danificado.

A PM estima que mais de 1000 torcedores chegaram a participar do ato. Os jogadores Carlinhos, Wesley e Michel Bastos foram agredidos, e patrimônio do clube acabou roubado ou destruído durante o tumulto.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos