Gomes diz não se importar com 'sombra' de Ceni e exalta reação do time

Do UOL, em São Paulo

  • Friedemann Vogel/Getty Images

Ricardo Gomes sabe que terá de conviver com especulações sobre uma possível chegada de Rogério Ceni ao comando técnico do São Paulo. O ex-goleiro está na Europa se preparando para a nova carreira e agrada a uma parte da diretoria. Marco Aurélio Cunha já disse que Ceni pode ser o técnico tricolor no futuro.

Em meio a comentários sobre troca de treinador para o próximo ano, Gomes afirmou não dar importância para o assunto.

"Ele foi meu capitão há seis anos e toda essa história é porque ele é merecedor de voltar ao São Paulo. Se vai ser como treinador ou auxiliar, é com a diretoria e só em 2017. Vamos resolver primeiro os problemas de 2016", disse Ricardo Gomes, nesta sexta-feira, no CT da Barra Funda.

O atual treinador frisa que as especulações sobre Rogério Ceni se iniciaram quando o São Paulo estava seriamente ameaçado de rebaixamento. As duas vitórias seguidas no Brasileirão, contra Fluminense e Ponte Preta, trouxeram tranquilidade na tabela e diminuíram a pressão por mudança de técnico.

No São Paulo, Ricardo Gomes firmou contrato sem prazo estipulado. Nesta reta final de Brasileirão, Gomes promoveu a ascensão de atletas da base, apostando em um ataque com David Neres e Pedro.

"Quando o assunto surgiu [troca de técnicos], a gente tinha cinco resultados negativos. Não tem diretoria no Brasil que dê respaldo assim. Agora está mudando, porque os resultados estão deixando o clube tranquilo. Minha situação será resolvida em dezembro, não tenho nenhum problema. Não seria o primeiro e nem o último. Essa exposição que se tem em um grande clube não é para reclamar, é para agradecer. Tenho que trabalhar".

Dobradinha é difícil

Apesar da especulação de que Rogério Ceni poderia ser um auxiliar de Ricardo Gomes em 2017, o diretor executivo Marco Aurélio Cunha acha difícil a possibilidade. Em entrevista à "ESPN Brasil", ele reafirmou que é natural imaginar que um dia Rogério Ceni trabalhe no clube, mas esfriou a expectativa que este momento seja agora.

"Eu não acredito que dá certo dois papas juntos. Você pode ter um treinador em uma época e depois o outro. (O Rogério Ceni) Está buscando conhecimento para uma carreira de técnico, e a sua história coincide com o São Paulo, por isso é natural que um dia ele trabalhe aqui. Um dia ele (Ceni) será o treinador do São Paulo, mas no momento oportuno, sem pular etapas", disse, antes de respaldar Gomes.

"Ele é a nossa missão hoje, passou pelo período difícil de aprovação. Há quem conteste. Eu não. Sempre disse que confiava nele", explicou, referindo-se à recuperação do São Paulo no Campeonato Brasileiro nas últimas rodadas, o que deixou o time mais longe do rebaixamento.

     

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos