Portuguesa é suspensa do Paulistão e Copa SP por dívida de R$ 14 mil

Aiuri Rebello

Do UOL, em São Paulo

  • Apu Gomes/Folhapress

    Estádio da Portuguesa na zona norte de São Paulo: Canindé vai a leilão para pagar dívidas do clube.

    Estádio da Portuguesa na zona norte de São Paulo: Canindé vai a leilão para pagar dívidas do clube.

A Portuguesa está suspensa da Copa São Paulo de juniores e do Paulistão do ano que vem pelo TJD (Tribunal de Justiça Desportiva) de São Paulo. A proibição de disputar as competições é por causa de uma dívida de cerca de R$ 14 mil com a FPF (Federação Paulista de Futebol). A situação pode ser revertida caso o time pague o montante em atraso.

O valor é referente a diversas taxas, como a taxa de arbitragem e de fiscalização, das partidas que a Portuguesa disputou na segunda divisão do Campeonato Paulista deste ano e nunca foram pagas. Além disso, a chapa única eleita em abril após a renúncia de Jorge Manuel Gonçalves da presidência, encabeçada por José Luiz Ferreira de Almeida, nunca registrou a posse oficialmente na federação paulista. Ele renunciou no início de outubro.

Assim, a Portuguesa é considerada sem representação oficial na entidade. Além de estar excluída das competições até segunda ordem, não pode participar nem votar nas reuniões da entidade que definem a tabela e regras das competições para o ano que vem, por exemplo. A Portuguesa também está excluída de qualquer solenidade oficial da FPF.

A situação se repete na CBF: O clube também está inadimplente em relação às taxas das partidas disputadas pela terceira divisão do Brasileirão neste ano, mas ainda não foi suspenso da entidade. Caso não pague, também ficará impedido de disputar competições oficiais nacionais.

De acordo com Leandro Teixeira Duarte, presidente do Conselho Deliberativo e presidente interino do clube, a situação será resolvida ainda esta semana. "Já arrecadamos os recursos necessários para pagar essa dívida e continuar com as atividades normalmente", afirmou ao UOL Esporte. "Devemos pagar esta dívida até amanhã".

A FPF, por meio de sua assessoria de imprensa, envio nota onde afirma que "a Portuguesa possui pendência jurídica com a FPF, o que a impossibilita, estatutariamente, de votar em reuniões". A federação explicou que na reunião desta segunda-feira sobre a organização da segunda divisão do Paulistão, o clube enviou um representante que participou como ouvinte, sem direito a decisão. "A Portuguesa já sinalizou à FPF que irá resolver a pendência em breve", diz a nota. 

Má fase

A suspensão acontece em um momento onde a Lusa enfrenta uma péssima fase dentro e fora de campo: após a má campanha na terceira divisão do Campeonato Brasileiro neste ano, foi rebaixada para a quarta divisão em 2017, a última que existe no campeonato nacional. 

No dia 20, um jogador da base foi encontrado morto na piscina do clube. Ele morreu por asfixia por alimento depois de um churrasco promovido pela Lusa para comemorar o avanço do time em uma competição da categoria sub-17. A polícia investiga o caso.

Para novembro estava previsto o leilão do Canindé, estádio do time na zona norte de São Paulo, para pagar dívidas de processos trabalhistas que se acumulam há muitos anos. O estádio está avaliado em R$ 154 milhões, mas a diretoria do clube conseguiu suspender o leilão provisoriamente na Justiça. Outro leilão de parte do terreno onde fica o Canindé (determinado em outra ação judicial), também está marcado para novembro e tem lance inicial de R$ 74 milhões.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos